Rancho América: melhor pastel, melhor cenário na beira da estrada

Um lugar de passagem, um tesouro pros colecionadores nas margens da 287, em Santa Cruz do Sul.

DSC_2107

Imagina a loucura de entrar num café onde você pode comprar absolutamente qualquer coisa que sua vista alcance?

DSC_2090

Não apenas os suvenires, as peças de moto, os quadros e a lambreta antiga, mas qualquer um dos objetos cênicos e até pratos e talheres em que lhe servem a refeição.

DSC_2059

É uma deliciosa diversão. Vire o cardápio: ele terá um preço.

DSC_2056

Pra comer, tem de tudo: um lindo balcão de tortas, um self service de doces e salgados, uma perna de salame e uma peça de queijo (risos). Mas a fama da casa, indiscutivelmente, está no pastel frito na hora e no inusitado penico de fritas (sim, elas são servidas no penico de louça).

Nesse dia em específico, abri mão de me portar comedidamente e comi bem mais do que devia. Dividi um pouco, é bem verdade…mas comi um pouco de tudo o que aparece nas fotos. É porque o pastel era excelente, mas a torta também, e a pizza-bolo também, assim como o café!

DSC_2062

Entre um pedido e outro, fiquei vasculhando algumas das ofertas incríveis do lugar. É um paraíso para os colecionadores.

 

Rancho América

RSC 287 km 98, Santa Cruz do Sul

Facebook: acesse aqui!

Comente

Comente

Degustando às cegas no Ricordare

A campanha das vinícolas brasileiras para descomplicar o consumo de vinho tem arrebatado mais e mais enoapaixonados que valorizam mais a companhia do que a safra ou o método de produção. Mas nem por isso todo ritual deve ser desprezado e uma degustação às cegas pode ser divertidíssima mesmo para o consumidor não especializado, como eu.

dsc_1800

O Ricordare vem promovendo com certa frequência eventos legais como confrarias e esta degustação às cegas com rótulos de quatro vinícolas locais: Aurora, Cave Geisse, Don Giovanni e Maximo Boschi. Já contei aqui como o lugar é bacana pra se estar com amigos. Uma experiência altamente boêmia por sua harmonização com crepes e outras comidinhas de lambuzar os dedos.

dsc_1807

Valeu a pena cada taça e ficou a sugestão para próximas ocasiões. Brut com pretzel salgado. Que tal?

 

Outros rótulos foram harmonizados com crepes, empanadas e pastel de Belém. No fim de cada prova, falava o sommelier da Refinaria Deli Gourmet sobre a harmonização e o representante da vinícola sobre o vinho ou espumante em questão.

dsc_1810

O ponto alto da noite foram os novos amigos feitos e as promessas de revival do evento. Pra ficar sempre atento aos eventos dos queridos Vanessa e Pablo, siga o Ricordare no Facebook!

Comente

Comente

Rio do Vento: uma hospedaria para chamar de sua!

Já contei certa vez aqui no blog sobre os encantadores morangos hidropônicos que crescem ouvindo clássicos do rock e reggae. Não é lenda. São 34 mil pés de morango cultivados em estufas com controle biológico, em um delicado processo de produção que tem a música ambiental como um ingrediente filosófico indispensável. Esse mundo particular em Caxias do Sul, a caminho do litoral, imprime a identidade de um sono em tudo o que serve.

dsc_1691

A maioria talvez não saiba, mas por trás de cada geleia, cada iogurte e cada taça de sorvete com calda de morango existe o desprendimento de um cara que largou o emprego estável e o conforto da cidade para se lançar a um estilo de vida bem mais rural. Seu bar, todo cravejado de velas e lembranças marítimas, se tornou um clássico dos domingos de sol. Saiba, em tempo, que as portas do Barlavento estão abertas todos os dias do ano, sem exceção!

dsc_1773

Mas esse texto não é apenas sobre morangos e, sim, sobre acolhida! Dia desses, tive a experiência quase onírica de passar um fim de semana curtindo os coelhos, o balançar das redes e a música dos morangos no Rio do Vento Hospedaria, que fica anexa ao bar. Lá se vão dois anos recebendo gente com uma simplicidade calculada para conquistar fãs.

dsc_1772

Se, por um lado, a hospedaria tem boas camas e chuveiros, por outro, oferece a rusticidade de velhas cadeiras de balanço e lavabos de antiquário. A casa por si só é uma obra digna do Professor Pardal. Para construí-la, foram usadas partes de suas casas transportadas das Missões até Caxias e datadas de 1951 e – pasme – 1871.

dsc_1763

São três pavimentos e em dois deles há suítes para até cinco pessoas.

dsc_1750

No térreo, uma sala de tevê e algumas mesas para o café da manhã…

dsc_1783

…que é ao estilo hidroponia, com iogurte em calda de morango, suco de morango, morangos in natura…

dsc_1781

…e a especialidade da temporada: cuca de mirtilo.

dsc_1770

O terceiro pavimento é, na verdade, um mezanino que convida à leitura.

E o bom de tudo isso é que, em meio pulinho, você está dentro do Barlavento, comendo um Vesúvio desses, dividindo a música com os morangos e curtindo as boas vibrações da casa.

Neste ano pesado que está perto do fim, mudar um pouco o ponto de vista pode ajudar um bocado a ver as coisas sob outra perspectiva. Eu, por exemplo, fiquei encantada pelo tesouro que é ter um estilo de vida tão simples quanto o dos donos do Barlavento. Precisamos mesmo de tanto artifício, tanta armadura e tanto sacrifício? Pra mim, desfrutar de uns morangos conhecedores de boa música foi o ápice naquele fim de semana.

Rio do Vento Hospedaria e Barlavento Hidroponia

RST 453, Km 154, bairro Ana Rech, Caxias do Sul
Site: clique aqui!

Comente

Comente

Dia do macarrão: as melhores massas já provadas por este blog

Hoje é o Dia Mundial do Macarrão. Quem não ama, quem não lembra da nona?

Decidi comemorar a data contando pra você quais foram as melhores massas já provadas nestes três anos de Culinarismo. Isto mesmo::: semana que vem comemoramos o primeiro triênio de blog. <3 <3 <3

São sete receitas que trago em ordem alfabética pelo simples motivo de não ser capaz de ranqueá-las. Buon apetito!!! 

Kho Phi Phi

Restaurante China Thai, Bento Gonçalves

Quanto: R$ 65,00

dsc_0118

A receita tailandesa leva frutos do mar, castanhas, uma misturinha muito louca de legumes e brotos e, por que não, uma certa dose de pimenta – grau 1, no meu caso. O prato leva a assinatura do chef Leandro Scotta, de volta a Bento Gonçalves depois de 10 anos na Austrália e Indonésia. Seu cantinho asiático é uma viagem para o outro lado do mundo em pratos da gastronomia chinesa, tailandesa e indonésia.

 

Nhoque na manteiga e sálvia

Tabacaria Benvenuto – Garibaldi

Quanto: 32,00

dsc_3352

Sempre que volto à tabacaria acabo repetindo o mesmo pedido: nhoque de espinafre ao molho de manteiga e sálvia, uma bela e simples receita que permanece no menu desde a inauguração do espaço, uma linda homenagem dos donos ao avô Benvenuto. Fotos dele adornam, com destaque, a parede da tabacaria.

 

Pasta fresca com trufas negras

Mercato Centrale – Firenze

Quanto: € 20.00

dsc_8193

No Mercato Centrale de Florença, tal qual a própria cidade, os elementos do passado e do presente convivem lado a lado. Essa pasta fresca foi minha primeira experiência real com trufas em quantidade suficiente pra se sentir o sabor marcante e incomparável. A família Savini preserva desde 1920 a tradição. O sabor da trufa negra não é algo simples de descrever. A sensação no paladar é de algo terroso, apimentado, que fica na boca por muito tempo. Espetacular!

 

Pasta gratinada com filé à milanesa

Dona Carolina – Garibaldi

Quanto: R$109,50

dsc_5600

O Dona Carolina não utiliza fritura em seus preparos, então esse filé à milanesa é, na verdade, assado. O prato de massa gratinada com filés é para duas pessoas e vem muitíssimo bem servido. Pedindo-se uma entrada ou uma salada, serve tranquilamente. Uma delícia.

 

Talharim ao molho de galinha caipira

Cobo Wine Bar – Bento Gonçalves

Quanto: R$ 35,00

dsc_1465

Voltarei ao Cobo Wine Bar para repetir esse prato quantas vezes puder – e beber, naturalmente. A acertadíssima receita de talharim ao molho de galinha caipira do chef Rafael Della Vecchia tem sabor caseiro. Massa fresca, feita na casa e cortada à mão. Do ponto ao molho, apenas espetacular pela simplicidade.

 

Tonnarelli cacio e pepe

Felice a Testaccio – Roma

Quanto: € 18.00

dsc_8437

Uma delícia que também cativa pela hipnotizante simplicidade. O Tonnarelli Cacio e Pepe é uma receita tipicamente romana que leva tão e somente massa, queijo pecorino e pimenta do reino. O segredo é a misturada que o garçom dá diante do cliente. O resultado é indescritível.

 

Tortellone artesanal aos camarões

Magnólia – Canela

Quanto: R$ 56,00

magnolia-tortellone

Se eu tivesse que descrever o Magnólia em apenas uma palavra, ‘experiência’ seria o termo ideal. Entre tantas especialidades da casa, surpreende o frescor do tortellone artesanal de limão siciliano e muçarela de búfala com camarões, tomate e manteiga de tomilho. Leve, delicioso e uma baita porção.

Comente

Comente

Boa surpresa no Casa Emiglia Ristorante

Já contei aqui no blog como a Nella Pietra arrasou em Bento Gonçalves com uma pizza de ingredientes nobres e sabores surpreendentes, mas os tempos mudam conforme a banda toca e a pizzaria agora é o aconchegante Casa Emiglia Ristorante. Uma casa de massas e filés com bons vinhos e uma cuidadosa decoração rústica. Mesmo endereço, outra ideia.

dsc_1626O número de mesas foi reduzido para atender o cliente com ainda mais delicadeza. São três salões com bastante privacidade. O nível térreo é ideal para casais ou pequenos grupos. Os demais espaços acomodam bem grupos maiores.

dsc_1629O colorido dos pratos encanta de primeira. Além de uma página só de aperitivos, a salada mediterrânea é uma das sugestões de entrada e foi servida perfeitamente fresca. R$ 26,00.

dsc_1651

Todas as opções do menu servem duas pessoas, mas você pode pedir meias porções, como eu fiz, aproveitando mais as massas e filés da casa. Por recomendação da cozinha, provei o ravióli de brie e figos, de toque adocicado que harmoniza perfeitamente com o molho de tomates confitados e lascas de pecorino. Massa fresca feita na casa, o que faz toda diferença no sabor. A porção inteira por R$ 89,00.

dsc_1642

Complementamos com um arrasador Filé Abraçadinho, uma invenção espetacular que entra para a lista de boas carnes em Bento Gonçalves. Consiste em um embrulho de queijo precisamente tostado e que abraça o filé. Por cima, molho de tomate da casa e um molho verde especial. A porção para dois, por R$ 95,00, acompanha arroz e pão caseiro assado na palha de milho.

dsc_1656

Agora atente para a carta de sobremesas – é um escândalo. A torta de sorvete que a pizzaria já servia virou Semifreddo Emiglia: três chocolates e calda de morango. R$ 22,00.

dsc_1653

Exageradamente delicioso é, também, o Gateau da Casa Emiglia. Sobre um bolinho quente de chocolate, o sorvete de creme, biscoitinhos amanteigados, morangos frescos e calda de chocolate. Nunca vi minha filha tão radiante. São R$ 26,00.

Se você chegou até aqui vai gostar de saber que o ristorante abre às segundas-feiras, o que é uma reclamação clássica de todo morador de Bento Gonçalves!!! Também de quarta à sábado, sempre a partir das 19h.

 

Casa Emiglia Ristorante

Quinze de Novembro esquina com Herny Hugo Dreher

Bento Gonçalves

Telefone: (54) 3125-0505

Abre às segundas e de quarta à sábado, a partir das 19h

Facebook: clique aqui!

Comente

Comente

DiPaolo: o mesmo sabor, ainda mais comodidade

A primeira unidade do Grupo DiPaolo, entre Bento e Garibaldi, no Castelo Benvenutti, está de cara nova. Novos ambientes e um cantinho de diversão para as crianças, mas o sabor continua o mesmo: incomparável. Porque a verdade é essa. Nessa terra repleta de boa comida, temos muito o que elogiar, mas é preciso admitir a excelência desse galeto e do queijinho à dorê. Continue lendo DiPaolo: o mesmo sabor, ainda mais comodidade

Comente

Comente

Uma pousada refúgio na pequena Cotiporã

Todo mundo precisa de um escape, um esconderijo, um dia de fuga pra colocar os pensamentos em ordem, as pernas pro ar ou meramente respirar brisa fresca. Especialmente num lugar cheio de boas práticas e com a recepção familiar da pousada Piccolo Refuggio, em Cotiporã. Continue lendo Uma pousada refúgio na pequena Cotiporã

Comente

Comente

Domingo de sol na Geisse Open Lounge

O frio se despede e é hora de botar a cara na rua, aproveitando o sol e as lindas paisagens da Serra Gaúcha. A novidade imperdível é o espaço Open Lounge da Cave Geisse, com bons petiscos, pufes tamanho família e o incomparável espumante da casa. A vinícola abriu seus jardins para receber o público a exemplo da Miolo, o que amarra e completa a experiência enológica da visitação. Depois de conhecer as caves e o processo enológico, nada melhor do que sentar calmamente e desfrutar desse prazer na taça.

Continue lendo Domingo de sol na Geisse Open Lounge

Comente

Comente

Cobo Wine Bar, o lugar que estava faltando em Bento Gonçalves

Vinho é o elixir da vida.

Longe de mim aquela enochatice que só repele as pessoas. O que quero dizer aqui é que o vinho é muito mais do que a bebida que se bebe. É a comida que se serve junto, as risadas que acompanham, a conversa fiada e o perfume que sai das taças. Há muito tempo, o setor vinícola nacional vem trabalhando institucionalmente para descomplicar os rituais acerca do vinho e conquistar mais enoapaixonados. Continue lendo Cobo Wine Bar, o lugar que estava faltando em Bento Gonçalves

Comente

Comente

Doceria portuguesa: lembranças de família

Conceição, minha vó. Portuguesa, com certeza!
Conceição, minha vó. Portuguesa, com certeza!

Esta ao centro é minha vó Conceição. Ao redor dela, nove dos 10 filhos no aniversário de 15 anos de minha mãe, que é a caçula. Herdei dela a origem portuguesa que me traz certa fascinação por Lisboa e o desejo de, um dia, explorar mais a gastronomia lusitana direto na fonte. Quando a conheci, Conceição já era uma senhora de idade e quem lidava com as panelas era a ajudante fiel, que, por acaso, se chama Ana, assim como eu e minha mãe. Pelas mãos de Ana, comi muita ambrosia e arroz doce. Comi até enjoar, nas férias em que pude conviver com minha vó, porque nunca morei perto.

Continue lendo Doceria portuguesa: lembranças de família

Comente

Comente

Culinária com uma pitada de jornalismo. Bento Gonçalves, Serra Gaúcha.