Restaurante secreto da Madeleine: experiência de dar e receber

Por dois anos, planejei encontrar e almoçar no tal restaurante secreto da Igreja Madeleine. Meu imaginário saboreou cada detalhe de uma refeição que eu projetei como misteriosa. Qual nada! O tal restaurante secreto da Madeleine não tem pretensão alguma de ser secreto… porque, na verdade, se trata de um lindo trabalho de benevolência para alimentar os necessitados de Paris.

Minha primeira impressão ao entrar foi de fascínio pelo cenário que ali se compunha. As paredes centenárias da cripta da igreja, vistas de dentro, me fizeram os olhos brilhar.  Enquanto o cliente à minha frente era recebido, observei em panorama tudo o que se desenrolava. A sobriedade dá o tom do restaurante, que não precisa de nenhuma decoração a não ser a história centenária que carrega. No corredor estreito de mesas lotadas, almoçavam muitos parisienses e quase nenhum turista.

No balcão da entrada, a hostess de seus 80 anos me chamou e explicou um pouco sobre o Le Foyer de la Madeleine. Antes de mais nada, precisei fazer uma carteirinha de filiação que custa 7 euros e vale por um ano. Ela dá direito a almoço completo, de segunda a sexta, por 9 euros. O lucro todo se transforma em sopa para os pobres. O restaurante não é secreto, é benevolente!

Essa hostess e todos do serviço estavam identificados com crachás de voluntários – e nenhum deles, provavelmente, tinha menos de 65 anos.

Fui acomodada numa mesa e logo veio um senhor com a água da casa (em Paris, você pode pedir a água da casa, que é perfeitamente potável e de graça) e uma bandeja com entradas diversas à escolha. Peguei a saladinha de pepino com molho de iogurte e segui observando o vaivém dos voluntários.

Depois, veio o prato principal. Ressalte-se que é um restaurante benevolente, não um almoço gourmet. O porco estava ótimo, os legumes tinham gosto de comida de avião e a massa gravatinha era massa gravatinha, bem como parece (risos)!

Vi gente comendo sorvete do tipo cornetto de sobremesa e achei bem apetitoso. Depois pensei que isso se come em qualquer posto de gasolina e aceitei a sobremesa da casa, que era uma espécie de panacotta com calda de amoras. Delicada e quase sem açúcar, como são as sobremesas do parisiense.

No fim das contas, sentei nas escadarias da Madeleine e divaguei sobre a gentileza daqueles voluntários e sua presteza. Fiquei incomodada com a minha própria apatia, mas só conseguia me concentrar na carteirinha de filiada ao restaurante e minha vontade imensa de voltar ali nesse um ano de validade do meu cadastro. Aquilo ficou pairando em mim enquanto o solzinho pós-almoço me aquecia o rosto. Aí o whatsapp apitou: “Carol, qual é a boa pra hoje?”. Era o fotógrafo, amigo do padre peruano da Madeleine. O que veio depois foi ainda mais surpresa que o Foyer de La Madeleine!!!

 

Le Foyer de la Madeleine

De segunda a sexta, das 11h45min às 14h

Entrada pela lateral da Igreja de La Madeleine.

O perfil do restaurante no TripAdvisor traz umas críticas bem malvadas de pessoas que obviamente desconhecem o objetivo e funcionamento da casa. Se interessar, clique aqui!