Todos os posts de Ana Carolina Azevedo

Flower Power: comida vegana com amor e com sabor

O histórico de postagens desse site revela claramente minha dieta carnívora. Sou bem adepta a um churrasquinho malpassado e às vezes chego a sonhar acordada com as parrilladas que devorei em Buenos Aires. Mas tudo é uma questão de estar aberto a novas experiências e novos sabores. Comida vegana? Pode ser uma opção saborosa e nutritiva até para pessoas com dietas como a minha. Em Buenos Aires mesmo, quando precisei aliviar a orgia gastronômica, conheci o PicNic – um fastfood vegano no coração da tumultuada Rua Florida.

eu

A boa notícia é que não precisa ir tão longe para provar uma culinária saudável e feita com ingredientes locais. Na verdade, não precisa sequer sair de casa. Meu caso com a Flower Power foi amor à primeira vista e, por isso, estou comprometida a disseminar essa ideia. Afinal, esse negócio familiar leva pras pessoas lanches veganos feitos com carinho e uma dose extra de sustentabilidade.

A premissa da Flower Power é preparar comidas simples e saborosas com o máximo de ingredientes orgânicos. Como toda a comida vegana, os produtos têm 0% lactose e eles também oferecem muitas opções sem glúten também. Tudo é feito na propriedade do casal, no interior de Garibaldi.

O cardápio é composto basicamente por pizzas e pastéis integrais; hambúrgueres; molhos especiais e o lanche da semana – feito sempre com os ingredientes frescos disponíveis. Para esse post, pedi um combo com um pouquinho de cada coisa. Um aspecto importante da Flower Power é o tempero usado nos preparos. A comida vegana deve ser o mais natural possível e não pode estar carregada de sal. Por isso, às vezes o resultado acaba sendo insosso e sem graça. Mas na Flower Power, não! Um dos sócios é colombiano e trouxe pras receitas o toque especial dos sabores sul-americanos, como o chimichurri, que tempera muitas das comidinhas.

DSC_2662

O lanche da semana varia de R$ 3,00 a R$ 6,00. Esse da foto é um pastel assado de legumes com massa integral – custou R$ 3,50. É o preço de um salgado de padaria, com uma diferença gritante de sabor e o principal: é um presente pro seu corpo.

CSC_2682

Os hambúrgueres da Flower Power são uma opção prática e de baixo valor calórico. Uma caixa com quatro unidades custa R$ 10,00 e eles vêm congelados pra você preparar rapidinho a qualquer momento (mas não vale fritar no óleo, né). Todas as opções são livres de glúten. Esse da foto acima é o de lentilha, com uma massa consistente e mais pesada.

DSC_2667

O de grão de bico é superleve fica perfeito com um toque de chimichurri, que a Flower Power também faz e vende em vidrinhos de 200 ml. A casa também vende pesto de manjericão e maionese vegana com salsinha (que estou curiosa pra provar).

CSC_2681

Se você já comprou hambúrguer de soja industrializado, esqueça aquela aparência e sabor estranhos. Esse foi o meu preferido da Flower Power. Bem temperado, tem um fundinho de pimentão e você nem pensa que está comendo soja.

DSC_2680

Para mim, a prata da casa são as pizzas integrais – que também podem ser feitas com massa sem glúten se o cliente preferir. É uma pizza grande, do tamanho de uma forma média retangular e custa R$ 20,00. Essa que provei era meia napolitana meia fugazza (cebolas salteadas). O queijo leve que vai por cima é feito na propriedade e obviamente é vegano. Além desses que comi, também há outros sabores: Crioula (pimentões, cebola e pimenta vermelha); Legumes da estação; Champignon ao alho e óleo; e Proteína de soja com cenoura, pimentão e azeitona.

A Flower Power não tem local físico. A ideia é exatamente entregar os produtos na casa das pessoas, mas também existem alguns parceiros – como a Tabacaria Benvenutto, de Garibaldi – que vende os pastéis de forno integrais. As entregas são feitas apenas uma vez por semana: nas quintas à tarde em Garibaldi e Carlos Barbosa e nas sextas à tarde, em Bento. Pra encomendar, a maneira mais fácil é via Facebook mesmo.

Flower Power

Encomendas pelo telefone  (54) 9138 2684 ou pelo Facebook – clique aqui.

Sobre uma divina experiência com sorrentinos e dolcettos

Dia desses, me peguei divagando sobre a vida e seus caminhos tortos. Sobre cada decisão e suas consequências no nosso destino. Sobre o efeito cascata de ir ou ficar. Sobre manter os planos ou se levar pelas paixões.

Não abandone o texto ainda. Esse post é, sim, sobre comida. Mas, se você entendeu o espírito da coisa, sabe que a história aqui vai além de um produto saboroso. É a história de uma família e de um sonho: uma deliciosa experiência com sabor de tradição que vem dando novo colorido ao Vale dos Vinhedos.

zaccaron externa

A Zaccaron Alimentos levou dois anos para sair do papel e tem uma proposta simples, mas eficiente. Massas e cookies congelados para finalizar em casa ou degustar no varejo na empresa, construído na Linha 15 da Graciema, com todo aquele charme que envolve o interior de Bento Gonçalves. Sem falar nos dolcettos, mas isso eu explico adiante.

zaccaron mesa

O lugar é uma graça e não tem desculpa pra não visitar, já que abre de segunda a segunda, das 10h30min às 18h30min.

zaccaron geladeiras

Além dos produtos da Zaccaron, o local também funciona como uma espécie de armazém, com a venda de cafés especiais, conservas e bebidas.

 zaccaron vista parreirasA linha de produtos da família Zaccaron basicamente é formada por sorrentinos (massas recheadas), molhos, cookies e dolcettos. Tive a honra de ser convidada para a inauguração, então pude aproveitar uma degustação bem ampla, mas isso não foi suficiente, porque dois dias depois voltei pra fazer umas comprinhas 😀

 

 

integral com ervas

O sorrentino é aquela opção que você precisa ter sempre no congelador pra quando aparece a sogra, por exemplo. Não tem erro, a massa é deliciosa e sem conservantes. Basta cozinhar e jogar um molho por cima que o sucesso é garantido. A própria Zaccaron oferece molhos de tomate, funghi e queijos. Esse da foto é integral com molho de ervas. Fica a dica para a turma fitness!

ricota limao e nozes Outra opção para quem prefere uma opção mais leve e também para os vegetarianos é o sorrentino de ricota – esse da foto foi servido com molho de limão siciliano e nozes. Divino!

queijos molho funghi A combinação de sorrentino de queijos e molho funghi também é muito boa…

frango ervas finas molho queijo…mas não tanto quanto o de frango com ervas finas ao molho de queijo.

salame bacon molho salviaMeu preferido da rodada, porém, é o italiano: sorrentino de bacon e salame – nesse dia servido com molho de sálvia. Em casa, acho que eu serviria com molho de queijo, fazendo a combinação mais calórica e substanciosa possível 😀

Uma caixa de sorrentinos unidades custa R$ 24,60 no varejo.

dolcetto brigadeiro E, se as massas são incríveis, o que dizer dos dolcettos? Simplesmente magnífico, o dolcetto freddo não é mousse e não é sorvete. É um docinho gelado pronto pra comer de colher, em três sabores: brigadeiro, doce de leite e banana (o meu preferido, sem sombra de dúvida). É feito artesanalmente e livre de glúten. Estou ansiosa pelo lançamento que está sendo preparado pra esse verão, de limão siciliano. À venda no varejo da Zaccaron por R$ 7,00 (potinho de 80 gramas).

zaccaron interna1

A Zaccaron tem vários pontos de venda na Serra Gaúcha, incluindo armazéns e supermercados. Mas, de vez em quando, vale a pena buscar direto da fonte. A vista é incrível e o atendimento, superespecial.

 Zaccaron indústria de Alimentos

Estrada Linha 15 da Graciema – Vale dos Vinhedos

www.zaccaronalimentos.com.br

www.dolcettodovale.com.br

(54) 3055.0499

 

O público escolheu e nós provamos: delícias do Biroska

O Divina Cozinha Top, ranking dos estabelecimentos da alimentação mais lembrados pelo público, já é promovido há 15 anos com muita participação em Caxias e agora chegou a Bento Gonçalves pra revelar as preferências locais em 30 categorias. Muitos nomes dessa lista são referências na gastronomia da Serra Gaúcha e já passaram também aqui pelo Culinarismo, como o Valle Rústico e o Sierra Burguer.

biroska EXTERNA

A grande surpresa da votação ficou por conta do Biroska, que levou SEIS categorias: melhor prato, melhor salada, melhor bebida, melhor bar, melhor garçom e melhor empresário da gastronomia. Óbvio que o Culinarismo não ia perder a oportunidade de tirar a prova dessa vitória esmagadora. Fui, provei e aprovei. Principalmente porque, em geral, comida de boteco pesa na consciência. E nessa fase mais ponderada em que me encontro, as frituras e os petiscos industrializados são a última opção.

biroska INTERNA

A fama do Biroska enquanto bar todo mundo conhece: cerveja no ponto, quintas-feiras concorridas e ambiente informal. O que me surpreendeu de verdade foi a variedade do cardápio, que vai do jantar substancioso até uma saladinha superlight, passando por uma pizza melhor que a de muita pizzaria por aí e os tira-gostos clássicos de qualquer casa noturna.

biroska INVOLTTINI

Como seria impossível passar pelas principais ofertas do cardápio, decidi ficar nos pratos e no drink que o público destacou no Divina Cozinha Top. O Involttini di Parma, que sagrou-se como melhor prato na votação, eu considero como uma entrada e não um prato principal. Ainda assim, a vitória é justa porque a dinâmica da votação era a livre indicação do público. E, mais ainda, porque o involttini é simplesmente divino e cai perfeitamente com uma cervejinha gelada. Tiras de presunto Parma envolvendo uma combinação de figo, queijo e uma folhinha de manjericão. Tudo junto é uma combinação gourmet que serve muito bem duas pessoas por R$ 20,00. Congrats!!!

biroska DRINK

O drink campeão do Divina Cozinha é sucesso entre as moças. Leva morangos, leite de coco, leite condensado e outros aditivos que não soube decifrar. Creio que seja feito com vodka, mas era fraquinho, fraquinho. Só senti ao levantar. 😉 R$ 16,00.

biroska SALADA

A salada do Biroska, também campeã do Divina Cozinha, é praticamente uma refeição completa. Folhas verdes, nozes, queijo, manga e tomate seco. Uma porção pra dois famintos por R$ 22,00.

biroska DAMASCO

Tudo agradou, mas eu já estava encerrando os trabalhos quando eis que surge o lançamento do Biroska pra esse verão, ainda sem nome e ainda sem preço. Superdelícia pra compor com uma cerveja gelada. Basicamente são damascos com creamcheese e um toque de gergelim. Poxa, perto do estrago que seria uma maravilhosa porção de pasteizinhos, esse tira-gosto dá pra curtir sem culpa (considerando que o chantilly é item decorativo que deve permanecer no prato)! Indico!!!

 

Em tempo, vale a pena pontuar que o atendimento especial do Biroska não é apenas uma promessa do Facebook. A equipe é atenciosa e trabalha pro “biroskeiro” se sentir em casa!

 

Biroska

Av. Planalto, 1156, Bento Gonçalves

Telefone: (54) 3701-4504

Facebook: clique aqui

 

 

 

 

 

 

Uma viagem à cozinha indiana com o chef Mauricio Crippa

Buscar pautas pra esse blog não é assim, tão simples. Depois de um ano, as opções vão se esgotando e a verdade é que tenho bastante material impublicável. Afinal, não sou crítica gastronômica pra detonar o negócio de ninguém, mas também me nego a indicar lugares com comida esdrúxula, atendimento precário ou ambiente descuidado. No balanço desse um ano, me considero uma pessoa de sorte por conhecer lugares, pessoas e sabores incríveis toda a semana.

chef

Nessas de garimpar ideias, acabei me deparando recentemente com uma proposta interessante e diferente. O chef Mauricio Crippa transformou sua casa em um espaço para jantares especiais inspirados em diferentes cozinhas mundo afora. Não se trata de um restaurante, é fato. Mas mereceu espaço aqui no site porque oferece comida dos quatro cantos do planeta bem pertinho da gente, logo ali no Barracão.

fotosalao

Sempre comunicando a programação pelo Facebook, o My Way Cozinha Universal já serviu cardápio mexicano, árabe e indiano – este último, que tive o prazer de provar. O nome do lugar já explica toda a proposta e, na chegada, já se nota as múltiplas referências que pautam a cozinha. As paredes ornadas com objetos garimpados revelam as histórias pessoais do chef e te deixam ainda mais curioso. Não há formalidades e as mesas são compartilhadas.

iogurte natural

 

Estava ansiosíssima porque minha experiência com comida indiana, até então, era nula. Pelo senso comum, fui preparada para muitos temperos e pimentas. A primeira gentileza foi um iogurte natural, que pareceu bem rústico.

 

entradas

 

As entradas indianas, pra mim, foram o ponto alto. Vou pontuar os nomes porque Culinarismo também é cultura, mas a descrição dos pratos vai ajudar na compreensão do que realmente se trata a comida indiana. Pra começo de conversa, o sabor das coisas é muito nítido e marcante. Definitivamente, trata-se de uma culinária pra quem aprecia a mistura de doce e salgado. Os pastéis recheados com vegetais são “samosas”. Os folhados são recheados com batata e se chamam “petish”. E os pães sírios não são sírios, são indianos, e na verdade têm o nome de “chapati” e “naam”. Os chutneys que acompanham as entradinhas eram de manga, coentro e pimenta.

Dá pra ver na foto que o prato já estava todo reviradinho. É que fui comendo e só depois lembrei da foto!!!

minipizza

Essas delicinhas parecidas com minipizza tem cobertura de sabe-se-lá-o-quê, mas eram divinas! O nome é “utthapam” e eu interpretei como algo do tipo “ultrapão”.

prato frio

Os pratos frios, servidos em Buffet, combinavam saladas Anaardana e Sev Puri e Bangan Ka Bhurta. Trocando em miúdos, o que está no prato, respectivamente, é: 1- salada com ervilhas, cebola e algo que a mim pareceu ricota ou algo semelhante. 2- salada com milho, tomate, sementes e um toque de rabanete, creio eu. 3- berinjela indiana. Tudo com muitas ervas e especiarias. Particularmente, adorei os sabores, mas são porções pra comer separadas…se misturar tudo no prato, não funciona mais.

pratos quentes

Os pratos quentes já me pareceram bem mais familiares: lentilha, arroz com brócolis, batata com especiarias e o ponto alto: o Panner Makhani: queijo com molho de manteiga e tomates.

sobremesa

A sobremesa foi um arroz doce indiano. Valeu pela experiência, porque não sou lá muito chegada a arroz doce.

Tudo isso, acreditem, custou R$ 45,00 por pessoa (sem bebida).

musica

O brinde da noite ficou por conta do pocket show de música indiana.

A proposta do chef é promover um jantar desses por mês, sempre trazendo para Bento Gonçalves a gastronomia de diferentes cantos do mundo. O espaço também está disponível para grupos fechados e tem capacidade para 44 pessoas.

 

My Way Cozinha Universal

Rua Francisco Ferrari, 656, Barracão, Bento Gonçalves

Reservas pelo telefone: 8118 3398

 

 

 

Meus cinco pratos favoritos do Café Com Arte

Esse post delícia provavelmente terá as imagens mais incríveis da temporada. Primeiro, porque a nova fase do Café com Arte, agora com proposta e jeitinho de bistrô, está demais. Segundo, porque excepcionalmente hoje vou mesclar as minhas fotos com as do super Eduardo Benini, que fez um registro único do ambiente e cardápio.

_MG_0112

Sou cliente de longa data do Café Com Arte. Até já postei aqui sobre um inesquecível jantar grego, quando errei a mira no emblemático momento da quebra dos pratos e por pouco não acertei outra cliente. Mas, se eu já gostava antes, com a revitalização recém-inaugurada ficou ainda melhor. A proposta, pra quem não conhece, é um ambiente tranquilo e charmoso com comida trivial, mas preparada a rigor pelo chef César Brandelli.

DSC_1787

_MG_9248

Na minha última visita, fui conquistada sensorialmente por uma baladinha jazzística e um cheirinho de bambu no ar. Essa singela preocupação faz toda a diferença e combina com a decoração cheia de objetos com história pra contar.

_MG_9277

Existe uma identidade muito convidativa no Café com Arte. Já estive na casa em dias de pouco movimento e dias de superlotação. E, pode ter certeza, sempre cabe mais um.

DSC_1780

O cardápio, como disse antes, é trivial, mas supervariado e com opções para qualquer bolso. Pode chegar com fome, porque o chef não te deixa esperar no vazio. Adoro as torradinhas com patê de presunto e parmesão. Perfeitas pra acompanhar uma cervejinha.

DSC_1769

Se o dia está pendendo mais pros vinhos, você não vai ficar a ver navios. Entre rótulos de oito países certamente haverá um perfeito para a ocasião.

DSC_1776

Mas, peraí, os amantes do whisky e da cachaça também são bem-vindos!

DSC_1763

A sala nova do Café com Arte ficou uma gracinha e é perfeita pra pequenos grupos.

_MG_2908

E, pra fazer jus ao “Arte” do seu nome, o Café com Arte Bistrô inaugurou tempos atrás essa sala em parceria com a Associação dos Artistas Plásticos da Serra Gaúcha. Não é só pra olhar, gente. Gostou, pagou, levou!

Já se apaixonou né? Calma, que o melhor vem a seguir. Já fui muitas vezes ao Café com Arte e devo ter provado praticamente todo o cardápio. Então, como não dá pra mostrar tudo, vou inventar aqui um TOP 5 que vai te deixar salivando!

_MG_0077

5 – Penne ao funghi

É um prato ótimo pra quem não quer se arriscar: sabor tradicional, massa ao ponto, aprovação garantida! Quanto? R$ 25,00.

_MG_0645

4 – Pizza individual de carne de panela

A partir daqui, já fica meio complicado definir as colocações desse ranking. Tudo depende da fome, da companhia e da inspiração, mas essa pizza é sucesso da casa e eu adoro! Quanto? R$ 24,00.

_MG_0033

3 – Risoto de filé ao vinho tinto

Parem as máquinas, só de pensar eu quero mais! Risoto, aliás, é a minha especialidade na cozinha quando enfrento as panelas, mas jamais pensei em reproduzir essa receita porque ia ficar medíocre perto dessa aí da foto! Quanto? 26,00.

_MG_0143

2 – Tortéi ao molho aurora

O segredo desse prato é o molho bechamel, mas o segredo do molho bechamel do Café com Arte eu já não sei. Peça sem culpa. Quanto? 28,00.

_MG_9365

1 – Salada do chef

Pra mim, aí está o campeão dos campeões. A salada leva folhas verdes, finíssimas fatias de maçã verde, presunto parma, kiwi e queijo brie. Por cima, uma frescurinha de amêndoas pra dar uma textura a mais. Quanto? 15,00 para uma pessoa. Pode ser uma entrada substancial ou jantarzinho light. Delícia!

Amou? Se já era demais no inverno, imagine a partir de agora, com o solzinho esquentando, nas mesas lá fora?

 

Café com Arte Bistrô

Rua Marques de Souza, 354, Bento Gonçalves

Telefone: (54) 2621 5302

Aberto de terça a sexta das 19h às 23h. Aos sábados das 11h às 14h30min e das 19h às 23h.

www.cafecom arte.co

 

 

 

Pizza Entre Vinhos, pra esquecer o mundo lá fora!

Hobby é um aspecto da vida alheia sobre o qual não se deve opinar. Alguns gastarão seu tempo e dinheiro com coisas grandes; outros, com miudezas. Já eu dedico minhas horas vagas a comer e beber – ultimamente, com moderação, porque perdi uns quilinhos que não pretendo reencontrar! Mas como recusar uma boa garrafa de tinto em ótima companhia e curtindo a pizza mais recomendada da temporada, bem no coração do Vale dos Vinhedos? Jamais!

pizza externa

A comida italiana do carismático Altemir Pessali já é consagrada na Serra Gaúcha, mas a famosa Pizza Entre Vinhos eu ainda não tinha provado. Posso entregar que a experiência foi bem revigorante.

pizzao salao

Adoro esses restaurantes com diferentes cantinhos para se acomodar e mesas distantes entre si. À meia luz, o salão fica ainda mais intimista. Você pode escolher uma mesa mais ao canto e usufruir de um serviço praticamente exclusivo. Mas a aparente sobriedade se quebra pelo climão de armazém italiano, com dezenas de opções de mimos pra levar. Sem contar, claro, na atração à parte que são os vinhos expostos no salão… A proposta das Pizzas Entre Vinhos é simples, mas assertiva.

pizza vinhos

Enquanto espera seu pedido, você percorre o salão e escolhe nas gôndolas um (ou mais) entre os 200 rótulos disponíveis a preço de varejo.

DSC_1803

Sobre a mesa, há um abridor e a proposta é que você mesmo abra o vinho.

 pizza salada

Existe uma mesa incrível de saladinhas que merece ser prestigiada. Afinal, manjericão e amor no coração nunca é demais!!!

pizza salao2

 

O lugar é bom pra um encontro a dois ou a muitos. Há mesas com diferentes capacidades colocadas em todos os espaços do salão. Ou seja, seja qual for a ocasião, você terá certa privacidade.

pizza pizza

O entorno todo colabora para a experiência ser completa, mas aí está a indiscutível estrela da casa. Ingredientes nobres fazem dessa pizza na pedra uma inesquecível tentação.

Em dúvida no cardápio superconvidativo, decidimos pedir a “San Danielle” (presunto cru e alcachofra), “Aspargos Verdes” e “Do Pessali” (manjericão, tomate e presunto parma). Todas valem a pena e atingem o nível da excelência, mas o Pessali acertou em cheio no sabor que batizou com o seu nome! Divino!

A pizza vale quanto custa – cerca de R$ 77,00 na grande, considerando que existem diferentes faixas de preço dependendo do sabor. E os vinhos, nem se fala. Não sei como demorei tanto pra conhecer as Pizzas Entre Vinhos, mas já assinei minha carteirinha de fã!!!

 

Pizza Entre Vinhos

Rodovia RS 444, Km 18, 9, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves (RS)

De quarta a domingo

Reservas: 54 3459.1392 | pizzaentrevinhos@gmail.com

 

Bouquet Garni, uma ode ao amor

Toda a semana, é um vaivém de dedos no teclado, algumas palavras adiante, muito backspace para trás. Escrever aqui é sempre uma maravilhosa tortura em busca das palavras exatas que consigam expressar plenamente a experiência de um prato novo, um lugar charmoso e um atendimento prestativo. Hoje não…hoje vou deixar as palavras correrem soltas e veremos no que dá. Esse é um post rico em sabores, lembranças e com final delicioso.

bouquet salaoOK

O Bouquet Garni é um lugar dos sonhos em Gramado, com vista para o Lago Joaquina Rita Bier. Definitivamente, não é um restaurante qualquer, mas o cenário perfeito para memoráveis encontros – ou, quem sabe, memoráveis despedidas. É especializado em frutos do mar, fondue e carnes exóticas. Mais que isso: é especializado em encantar os olhos.

bouquet adegaOK

Logo na entrada, uma inspiradora adega para um brinde a dois. Aliás, embora a casa receba grupos impecavelmente, não se pode negar que predominam os pombinhos apaixonados.

bouquet mesageralOK

No salão, impecável, não passa despercebido o charme dos lustres e do mobiliário. A decoração é toda provençal…muito branco e cadeiras pesadas. Muitas flores e pouca luz. Tudo como manda o figurino.

bouquet mesaOK

Cada detalhe impressiona antes mesmo de você decidir o pedido. Na mesa, a pequena luminária segue o padrão das cadeiras. Com sorte, você consegue uma mesa como a minha, com vista direto para o lago. Se a companhia for perfeita, você não desejará mais nada – exceto o que vem a seguir!!!

 

 

bouquet entradaOK

O garçom perguntará se você(s) aceita(m) o couvert, que, naturalmente, não é de graça. Mas aceite, porque é nessas pequenas porções que se descobre o esmero do restaurante com os sabores e a apresentação. Nesse dia, por aproximadamente R$ 40,00, tive o esfuziante prazer de degustar um consomê de moranga com gengibre delicadamente servido em copinhos; e uma cesta de pães mediterrâneos acompanhados por cream cheese com caviar (à esquerda) e pasta de azeitona, alcaparra e anchovas batido no azeite de oliva (à direita). A elegância da entrega foi tão surpreendente que comi o creme de goiaba (coisa que não gosto) só pra olhar a colher mais de perto!
bouquet entradalavaboOKbouquet lavaboOK

 

Antes do prato principal, dei uma passada rápida no lavabo e voltei para buscar a máquina fotográfica na mesa. Fora o detalhe do aquecedor, que estava ali por pura imposição climática e deu uma estragadinha na imagem, essa atmosfera na entrada me encantou completamente. Claro que as flores amarelas tiveram total contribuição – quem me conhece nunca erra na cor do presente. Mas nesse caso, ao contrário, todo o charme estava no branco. Tem como não ficar boquiaberta com essas torneiras douradas (chique sem ser vulgar. Hehehehehe)?

bouquet magretOK

Entre fondue, frutos do mar e carnes exóticas, obviamente escolhi aquilo que a gente não vê todo dia. Pedi magret de pato com purê de aspargos Nessa noite, quebrei todo o protocolo: deixei de anotar alguns preços e algumas informações sobre os pratos, mas tenho na lembrança que esse prato custou algo como R$ 80,00. E olha a delicadeza do bouquet garni que decorava minha escolha? Ah, veio acompanhado por uma divina calda que já não sei se era de amora ou framboesa.

bouquet javaliOK

Ok, o meu prato era lindo e estava ótimo. Mas esse aqui estava simplesmente espetacular e só não pedi porque fiquei com o pé atrás com o cuscuz – pura falta de hábito. Acabei me arrependendo. O preço era similar ao anterior.

bouquet sobremesa

Eu nunca peço sobremesa, mas dessa vez pedi. E era uma indescritível torta de mascarpone ao chocolate meio amargo com calda de…não lembro…acompanhada por sorvete. Uma delícia e uma bela foto.

Numa análise rápida e sem demérito às dezenas de lugares que já visitei e descrevi aqui no Culinarismo, creio que o Bouquet Garni tenha sido o mais cinematográfico e emblemático. Talvez pela incrível ambientação, talvez pelo tratamento de princesa, pela entrega perfeita ou pela lembrança que ainda me causa. De qualquer forma, se um casal apaixonado precisasse de um lugar perfeito pra trocar suas juras de amor eterno, minha dica é essa. No caso de não haver casal nem palavras a dizer, mesmo um jantar sem juras vale a experiência e a conta, que fica em aproximados R$ 300,00 para dois.

Bouquet Garni

Rua Leopoldo Rosenfeldt, 986, Gramado (RS)

Aberto para almoço nos sábados, domingos e feriados

Aberto para jantar de segunda a domingo

Reservas: (54) 8145-2369/9904-8574

www.bouquetgarnigramado.com.br

Um combo americano direto dos anos 50!

Pra chegar a esse post, invadi o paraíso dos adolescentes em Gramado: Holiday Milkshakers. Se não estivesse acompanhada por uma criança de três anos e uma adolescente de 13, certamente ia parecer um alienígena em terras distantes. É fácil entender a fórmula de sucesso que atrai tanta galera pra esse lugar. Junte o melhor milk-shake da galáxia a um hambúrguer estilo americano servido com fritas rústicas. Adicione pitadas do metabolismo juvenil e você deduzirá por que esse lugar está sempre lotado de pais e filhos e turminhas gastando a mesada. Na deliciosa temakeria que fica bem ao lado, a idade média do público deve ser o dobro!

Atraída pelo aroma inconfundível de batata frita, nesse fim de semana troquei o lanchinho japonês pela oferta ao lado, bem mais pecaminosa. Não nego a culpa e já prometi a mim mesma que a aba “fast food” desse site ficará um longo tempo sem atualizações. Meu corpo já sente os efeitos de tantos excessos. Beirando os 30, já não posso me dar ao luxo de engordar 1 quilo por mês. Perdê-los depois tende a exigir bem mais sacrifício do que antigamente. De qualquer forma, uma escapadinha dessas vale a pena de vez em quando. Além do mais, não apenas o Holiday, mas muitos restaurantes e lanchonetes já oferecem alternativas menos calóricas e opções que contemplam os clientes com restrições alimentares. Mais adiante conto quais são.

holiday externa

holiday banquinhosEsse é o Holiday, fica numa área bem movimentada de Gramado, próximo à rótula que leva a Canela. O estilo é inconfundível. As pin ups, os banquinhos e essa mistura de verde-água com rosa chiclé levam você diretamente aos anos 50.

 

 

holiday detalhe1holiday detalhe2

Dentro do Holiday, a caracterização fica ainda mais evidente. Claro que seria melhor uma jukebox de verdade. Aliás, sou muito defensora de música ambiente em restaurantes, especialmente se ele for temático. É um pouco estranho, para mim, desfrutar de um hambúrguer com milk-shake sem um rockabilly ao fundo. Ademais, uma boa dose de Elvis e Johnny Cash faria bem a essa nova geração.

holiday milkshake

O cardápio do Holiday é basicamente composto por milk-shakes e hambúrgueres. Sobre eles, o que posso dizer sem sombra de dúvida é: esqueça aquelas bebidas insossas servidas nas lojas do palhaço e do rei. Isso é milk-shake de verdade, com sabor, textura e um canudo da largura de um marca-texto. São mais de 90 sabores e algumas opções interessantes, como milk-shakes alcoólicos (para maiores de 18, óbvio), sabores 0% lactose e sabores diet. O preço varia de R$ 7,00 a R$ 13,00 nos sabores tradicionais, dependendo do tamanho (300, 500 ou 700 ml).

holiday burger

Os hambúrgueres são o que a casa promete: estilo americano, sabores bem definidos e uma ótima espessura de carne. Provei três sabores e todos foram aprovados…mas guardei o ouro para o final 😉

Por R$ 18,90, comi a especialidade da casa, o Holiday. Não preciso dizer que a combinação de cebola caramelada e gorgonzola sempre dá certo.

holiday crunchy burger

O Crunchy Burger me deixou com a consciência pesada: cheddar derretido, cebola e bacon crocantes, alface, tomate e maionese verde. Sem falar nas fritas rústicas que acompanham todos os hambúrgueres. Esse custou R$ 17,90. Definitivamente, não indicado para pessoas que brigam com a balança, como eu!

holiday veggie

Tudo valeu a pena, até o que eu não devia ter comido. Achei o preço muito justo também, mas o ouro do cardápio certamente é este maravilhoso hambúrguer Veggie, que pedi em homenagem a meus amigos e leitores que abdicaram de carne. Gente, sério, foi uma explosão de sabores: cogumelos Paris salteados, muçarela derretida, tomate empanado, alface americana e molho aioli. Pra ficar ainda menos pesado, é só pedir pra trocar o tomate empanado por fresco. Custou 19,90 e também veio acompanhado pelas malfadadas fritas rústicas 😉

Ah, antes que eu esqueça, o Holiday também oferece umas saladinhas e uma opção de wrap, pra quem quer dosar o milk-shake com algo menos devastador.

 

Holiday Milkshakers

Rua Reinaldo Sperb, em frente ao mercado Nacional de Gramado

Telefone: (54) 3286-6022

E-mail: contato@chocolateplanalto.com.br

Facebook: clique aqui

Desvendando os incríveis sabores d’Akela Bier

Esta não é apenas a história de uma cerveja artesanal incrível. É a história daquelas loucuras que só uma mãe faria por seu filho. Fora do circuito noturno de Bento Gonçalves, na última casa da rua Antônio Dalla Chiesa, escondidinho lá no Borgo, dona Mari embarcou no projeto do filho cervejeiro – “para nossa alegria”. Renunciando ao porão que não tinha muito uso, ela permitiu que o Jorge abrisse o La Taberna Bistrô Bier, onde ele finalmente pôde dar uma vazão mais rentável a todos os engradados de cerveja que vinha produzindo para consumo próprio. taberna ambiente

Nessa empreitada familiar, dona Mari entrou com o imóvel e o Jorge entrou com o talento cervejeiro e o atendimento simpático. Reformado, o porão virou um bistrô com cara de pub, superconvidativo para uma rodada com os amigos (ou várias). O lugar vem funcionando desde novembro passado, sempre com lotação máxima. Os primeiros frequentadores foram os amigos do Jorge; depois, os amigos dos amigos; os conhecidos dos amigos e por aí vai. No boca a boca, a notícia chegou a mim e não pude deixar de conferir.

taberna tv taberna ponto

O espaço no La Taberna é pequeno, com capacidade para 20 pessoas, calculo eu. A música ambiente é de boa sonoridade e a decoração conversa com a proposta do lugar: comida trivial nas quintas gourmet, petiscos da casa nas sextas-feiras e jantares harmonizados uma vez por mês, aos sábado. Tudo regado a nove diferentes tipos d’Akela Bier, a marca da casa.

taberna kettalReservei com antecedência uma mesa para três pelo Facebook e confesso que o fiz mais pela comida do que propriamente pela cerveja. Acabei sendo surpreendida por aromas e sabores incríveis. Como uma quinta-feira pede parcimônia, conseguimos provar três dos nove exemplares de Akela: uma leve, uma intermediária e uma garrafa da cerveja mais encorpada da casa. Não sei quanto tempo o Jorge levou bolando os nomes de suas cervejas, mas eles definitivamente são uma atração à parte. Para abris os trabalhos, uma Kettal, pilsen que foge às tradicionais. O cardápio a descrevia como “intrigante” e eu realmente demorei para decifrar o leve toque de alecrim que torna essa pilsen diferentes das cervejas comuns.

taberna banheiroEntre uma rodada e outra, precisei ir ao banheiro e: tchan, cerveja na entrada e na saída!

taberna nordika

A segunda cerveja que pedimos, de nome Nordika, foi servida em copo do tipo tulipa, o que já impõe certo respeito. Ó céus, não sei como cheguei até aqui sem conhecer esse sabor. Turva, porém ainda muito amarelada, ela tinha um aroma incrível de damasco e sabor muito marcante, sem ser doce.

 taberna formulaQuer deixar um recadinho para a dona Mari? Pode. No La Taberna, o cliente é convidado a contribuir com a decoração, deixando seu recado a giz nas paredes – o que faz surgir as mais curiosas mensagens, diga-se de passagem. Quem se atreveria a testar a fórmula do Jorge???

taberna pratoJá disse que as quintas do La Taberna são gourmet? O Jorge garantiu que, desde novembro passado, o cardápio nunca foi repetido. Sendo assim, só posso opinar pelo que comi na última quinta, mas se todas as semanas forem assim, indico e assino embaixo. Por R$ 30,00, provei uma refeição trivial preparada com excelência. O prato consistia em nhoque ao molho de queijo, sobrecoxa de frango recheada e o melhor ratatouille que já provei na vida. Sabe quando o molho de queijo realmente tem sabor de queijo, e não de molho branco? E quando os legumes estão no ponto exato, bem ao dente? Prato aprovado!

taberna qbaitaQbaita foi nossa última escolha, uma strong de corpo intenso, daquelas em que um gole leva a outro e é impossível parar até que acabe! Faltou provar a Prospiá, Madiba, Pandora, Galega, Masbah e Tontieta. Também cabe voltar numa sexta para provar as azeitonas à milanesa, que têm boa fama! Na empolgação, acabei esquecendo de anotar o preço das cervejas, mas a conta final ficou ótima: R$ 99,00 com dois pratos de R$ 30,00, três cerveja e uma água.

Agora pergunto: o que seria das nossas quintas gourmet se não fosse a dona Mari e o seu Mario, que deu todo apoio e ainda cuidou da “engenharia do lugar”? Tá merecendo placa de agradecimento do La Taberna 😉

La Taberna

Rua Antônio Dalla Chiesa, 222, bairro Borgo, Bento Gonçalves

Aberto nas quintas e sextas, a partir das 20:00, somente com reserva

Contatos:

e-mail: latabernabistrobier@gmail.com

Facebook: clique aqui!

 

Um recanto tibetano que vale a pena

tibet temploNuma manhã úmida, mas ensolarada, subi a Serra buscando uma experiência de paz. Acredite: até o mais cético dos homens um dia recorrerá às preces, aos livros ou aos sábios para encontrar em si mesmo a parte que há do universo. Para mim, uma caminhada breve e silenciosa no templo budista de Três Coroas é o suficiente para confortar a alma por um bom tempo. É curioso e fascinante acompanhar as legiões de formigas que seguem seu rumo, protegidas, quem diria, pelo homem. tibet entrada

O ritual de uma boa refeição tem disso também. Mais que alimentar o corpo, reconforta o espírito. Foi assim que me senti no Espaço Tibet, um centro cultural ainda em desenvolvimento que abriga uma pequena loja e o restaurante Tashiling. O lugar representa muito do que é o Tibet, afinal, eles garantem que apenas três tibetanos residem no Brasil e dois deles estão ali, servindo ao público sabores incríveis ao som de mantras e músicas folclóricas. O ambiente tem um quê de hipnótico – sobretudo se você conseguir deixar o celular na bolsa e apenas comer, beber e relaxar.

tibet salao

Claro que, dessa vez, não pude me dedicar inteiramente a aproveitar o momento, ou não teria imagem alguma pra trazer. Mas, juro que fiz o mínimo possível de cliques de cada prato. Não vale a pena perder muito tempo com isso em vez de observar a elegância dos garçons em seus trajes típicos. Eles quase levitam e seu tom de voz é sereno, constante.

tibet chaMal sentei e já estava hipnotizada pelas dança típica de um vídeo que passava em televisores virados para os dois lados do salão. Não tinha como escapar daquela dança sincronizada. O garçom, deslizando no piso úmido, interrompeu meu transe trazendo chás de boas-vindas. Chá preto com limão e gengibre, cortesia da casa.

tibet entradassss

O garçom não mentiu ao dizer que a comida tibetana é aromática e leve. Realmente, os temperos é que dão todo o toque, como nessa entrada tradicional: os momos, acompanhados por molho de manjericão e molho de tomate. É difícil decifrar as especiarias e ervas. A combinação é complexa e agrada principalmente pela riqueza de sabores com pouquíssimo sal.

tibet carne tibet batata tibet legumes

A R$ 19,00, são servidos três sabores de momos que servem duas pessoas na medida: carne, batata e legumes. Confesso que me deparar com carne logo na entrada causou certa estranheza, levando em conta que no templo budista eles não permitem aos visitantes pisar nas formigas. Como não tenho embasamento algum sobre o Tibet e o budismo tibetano, então permanece a dúvida (uma pesquisa rápida na internet sobre o tema não surtiu efeito).

tibet prato principal

O cardápio traz algumas opções de prato principal com peixe e filé mignon. Pedi ao garçom algo que realmente representasse o lugar e ele indicou o Racha: Pernil de cordeiro ao molho de cravos, arroz flambado com castanhas e gergelim, cenoura caramelada e batata com ervas finas. Já tinha provado em outra ocasião a variação desse mesmo prato com molho de anis e achei a carne mais adocicada do que devia. Dessa vez, entretanto, o equilíbrio estava perfeito.

 tibet detalhe cordeiroMesmo com a fortidão do cravo, senti nitidamente um vinho tinto ao fundo, e a carne estava bem macia. Esse “combo” serve duas pessoas e custa R$ 68,00.

 Como sempre, não tive forças para chegar à sobremesa e nem precisava. Foi uma experiência inusitada e buscar lugares assim é o impulsiona esse trabalho. Mas, dessa vez, além da comida diferente, havia uma atmosfera única. Uma sensação de completa tranquilidade.

tibet encerramento

Espaço Tibet

Rua Alagoas, 361, bairro Águas Brancas, Três Coroas (RS)
Telefones: (51) 3546-5763 e 9678-3184

www.espacotibet.com.br