Todos os posts de Ana Carolina Azevedo

Cantina Pastasciutta: massa não é tudo igual!

Aquela desculpa esfarrapada a que eu sempre recorro pra justificar meus excessos: o inverno vem aí, o corpo precisa de mais calorias…além do mais, um casaquinho escuro oculta qualquer quilinho indesejado. Com a desculpa na ponta da língua, eu decreto: está aberta a temporada de gulodices e a dica de hoje vem de Gramado. O bom de morar tão perto é que dá pra fazer um bate e volta se o orçamento não bastar para as diárias, que quase dobram nessa época. A propósito, uma dica valiosa: o Airbnb já está bombando em Gramado, viu?! O preço dos apartamentos para fim de semana é bem mais camarada, apesar de os proprietários também fazerem diferenciação entre alta e baixa temporada.

fachada

Em se tratando de comer bem, meu top 5 em Gramado é variado – vai de um temaki baratinho a um menu degustação para momentos especiais. A maioria dos bons restaurantes está no circuito avenida das Hortênsias/Borges de Medeiros, ou arredores, no máximo. Para massas, por exemplo, eis a minha indicação suprema: Cantina Pastasciutta. Não tem erro. Quer comer bem, sem frescura, mas não abre mão de ingredientes frescos? Confia e vai!

DSC_4509

A casa está beirando seus 35 anos, mas nem de longe perdeu o fôlego. O ambiente é de uma típica cantina, misturando as cores da bandeira italiana e muitas sacadinhas decorativas, como os escorredores de massa que fazem as vezes de lustre.

DSC_4490

Logo na chegada, você recebe um desses, o que é muito útil para um turista não familiarizado com a gastronomia italiana. Apesar de haver carnes e peixes no cardápio, as estrelas da casa são, de fato, as massas. Fartas, frescas, lindamente preparadas ali mesmo.

DSC_4492

DSC_4496A mesa de antepastos, por peso, traz uma linda variedade de queijos, cogumelos e carpaccios. Sem arrependimentos, troquei a sobremesa por essa entrada, que deu algo em torno de R$ 13.

DSC_4502

A porção serve tranquilamente duas pessoas e ainda sobra um pouquinho pra depois (nem preciso pontuar que pedir pra embalar é supernatural, né? Deselegante é deixar comida ir ao lixo). Essa belíssima porção de massa À Zíngara consiste em sugo, frango, presunto, linguiça da casa e nata (R$ 84,90).

Parece simples, mas tentei reproduzir dias depois e não ficou sequer parecido. Jamais ficaria, a começar pela massa fresca e terminando pela panela de ferro fumegante, sem esquecer de mencionar que o queijo ralado é um grana ralado no dia.

Essa lembrança abriu meu apetite. É impressionante: nunca canso desse esporte que é comer!

 Cantina Pastasciutta

Avenida Borges de Medeiros, 2083, Gramado

Contato: (54) 3286-2131

Site: acesse aqui!

 

 

Um caso de amor irremediável: Amora Sabores Especiais

Um fato: em se tratando de alimentação, existe um público cada vez maior para comida fresca e ingredientes de qualidade. As pessoas não querem mais pagar apenas por um prato de comida, mas por um serviço autêntico. Isso é ótimo, pois mostra que existe demanda por novos empreendimentos e faz surgir no mercado lugares incríveis como o Amora Sabores Especiais. Inaugurou essa semana em Bento Gonçalves e tratei de fazer logo minha exploração gastronômica, porque os primeiros depoimentos a respeito não deixaram dúvida de que seria uma bela experiência.

IMG_7028

Na verdade, não se trata de um restaurante, mas um bar e lanchonete com proposta totalmente inédita em Bento Gonçalves. Registre-se mais uma vez: totalmente inédita. O conceito de comida saudável é realmente levado a efeito e dá pra perceber a pesquisa, o cuidado e a coerência da proposta em todos os detalhes.

IMG_7039

Que ambiente mimoso! O verde e o reaproveitamento de materiais aparecem em todos os cantos – desde os porta-guardanapos até a pia do banheiro (essa imagem deixei para a curiosidade do leitor…vai ter que ir ao Amora pra conhecer o banheiro).

IMG_7026

O cardápio é balizado, sem dúvida, pela máxima “Comer bem faz bem”. No balcão, algumas opções de lanches rápidos pra quem está com pressa, mas tudo saudável também. Os pasteis são assados e integrais e os quiches são superleves. Tem opções pra quem é vegano, vegetariano, intolerante a glúten, a lactose e tudo mais! A única chance de você não encontrar nada no cardápio é se estiver procurando fritas (risos!). Ah, esqueci de mencionar que o Amora tem uma hortinha orgânica de onde saem os temperos e folhas frescas das receitas!

IMG_7052

Indecisa, fiquei de olho no sanduíche com pão de beterraba que vi saindo pra mesa ao lado, mas acabei pedindo tapioca e crepioca, que são o carro-chefe do cardápio. Quem não está acostumado com esse prato da culinária nordestina pode começar pelas crepiocas, como essa de frango cremoso da foto. A diferença é que leva claras de ovo e fica com um sabor mais próximo a de omelete recheado. R$ 13,90!!!

IMG_7058

Eu, que não estava afim de carne, pedi uma tapioca de cogumelos frescos…corações pra isso <3 <3 <3. Para o nosso paladar, tão adaptado às comidas pesadas e salgadas da Serra Gaúcha (que também adoro, sem melindres de confessar), é uma experiência bem diferente estar diante dos sabores reais dos alimentos. Digo isso porque senti que a cozinha usa pouco ou quase nada de sal nos preparos. Simplesmente adorei. R$ 15,90 esse!!!!

IMG_7048

Pra beber, foi uma completa indecisão, porque tem muitas opções geniais, como sucos funcionais, chás especiais, cerveja sem glúten e refrigerantes orgânicos (!!!). Como não dava pra pedir tudo, fui no smoothie de frutas vermelhas com leite de amêndoas da casa. Uma coisa de outro mundo, com frutas frescas.

IMG_7063

Para a sobremesa, tapioca de morangos com creme de avelãs e alfarroba – aquilo que lembra chocolate, parece chocolate, mas não é chocolate.

 

IMG_7070

E um delicioso petit gateau de farinha de aveia e cacau zero açúcar, com calda de amora e sorbetto orgânico de amora (sem lactose). Não está no cardápio, então fica a dica de acompanhar o face do Amora para aproveitar as ofertas de ocasião. Agora, repara no detalhe do café, que também é orgânico. Toda a visita teria valido a pena somente por isso! Pra uma pessoa como eu, que simplesmente AMA café, essa foi a descoberta do ano. Tanto que convenci as garotas do Amora a venderem um desses pra mim e na verdade acabei levando dois!!!

IMG_7029

Gente, comer saudável não é tão caro, não. Todo esse desfrute para duas pessoas saiu por R$ 60,00, mas no dia a dia você consegue tranquilamente fazer um lanche saudável com R$ 15,00 ou menos.

IMG_7031

O friozinho está demorando a chegar, mas já me vejo esparramada no sofá, curtindo um sábado de inverno na frente dessa lareira. Guardem meu lugar aí, voltarei em breve!!!

Amora Sabores Especiais

Avenida Planalto, 816, bairro São Bento, Bento Gonçalves

Aberto de segunda a sábado, das 15h às 20h

Contato: 54 3702-3519

Facebook: acesse aqui!

 

RER Divino, um pequeno notável!

A coisa andou punk nas últimas semanas e acabei cheia de postagens deliciosas na gaveta, mas sem conseguir tempo pra organizar todo o material. Estava ansiosa pra sentar com calma e contar pra vocês a estupenda experiência que tive no RER DiVino, esse pequeno notável que torna ainda mais charmoso o centro histórico de Garibaldi. O lugar já existe há três anos e vale a visita sempre que a ocasião pedir um bom vinho ou espumante perfeitamente harmonizado.

IMG_1668

Pra começo de conversa, o RER DiVino é um empório e champanharia – o que, trocando em miúdos, significa que você pode ir apenas comprar vinhos ou espumantes ou desfrutar de um almoço ou jantar harmonizado. A casa serve petiscos e pratos individuais de terça a sábado e uma sequência especial de massas, risoto e carnes no almoço de domingo. Tudo isso em um espaço superprivado que comporta não mais que oito mesas.

IMG_1579

A primeira dica aqui é: se quiser uma mesa na adega superintimista, reserve com antecedência ou correrá o risco de perder essa experiência charmosa que acontece entre mais de 200 rótulos nacionais e importados. A ideia aqui é desfrutar de uma estada agradável, sem pressa e sem o frenesi dos restaurantes badalados. À meia luz, a adega convida a um brinde especial com alguém especial – ou alguéns. Não existe carta de vinhos: o cliente escolhe na própria adega.

IMG_1550

 

 

A champanharia, por outro lado, é o ambiente de maior circulação da casa, perfeito pra um tira-gosto no fim da tarde ou um jantar menos cerimonioso.

 

IMG_1540No RER Divino, você não precisa beber além da conta ou limitar a harmonização dos seus pratos. Se a pedida da noite for um bom espumante, saiba que a casa trabalha apenas com vinícolas nacionais e oferece diariamente algumas opções vendidas em taça. Isso porque, ao contrário do vinho, espumante não convém sobrar para o dia seguinte.

Feitas as honras da casa, vamos ao que interessa. Tive a oportunidade de fazer uma degustação dinâmica com todas as principais vertentes do cardápio e, com propriedade, vos digo: árdua é a tarefa da escolha. O cardápio é descomplicado, trivial, mas feito com bons ingredientes e bem empratado.

IMG_1597

No almoço, o cliente monta o prato escolhendo uma opção de carne, massa ou risoto. A salada e a sobremesa acompanham. Se estiver indeciso, vá nessa sugestão: salmão com risoto de gruyère e raspas de limão. para finalizar, sorvete de creme com calda de morango da casa. O preço aqui varia de R$ 16 a R$ 39, de acordo com os elementos escolhidos.

IMG_1617

 

 

O happy hour fica muito mais happy com essa salsicha Frankfurt com mostarda amarela. Custa algo em torno de R$ 20. Não mencionei antes, mas o RER Divino também tem uma carta de cervejas especiais.

 

 

IMG_1686
No jantar, você pode escolher uma opção do cardápio, como esse salmão na crosta com arroz crocante ou…

IMG_1642

…aproveitar a sugestão da semana, que nesse dia incluía o entrecot ao funghi.

IMG_1706

O jantar vale a pena, certamente, mas minha surpresa mais grata nessa visita foi o brownie  com ganache de chocolate e sorvete de creme. Logo eu, que nem sou muito fã de sobremesa. Sem sombra de dúvida, foi o melhor brownie de toda a minha existência. Nada de bolo pronto, nada de bolo de caneca…tudo feito na própria cozinha – o brownie, a calda, o ganache. Mal posso esperar pra reviver esse momento.

 

RER Divino

Rua Dante Grossi, 379, Centro, Garibaldi

Reservas: (54) 3462-2913

http://www.rerdivino.com.br/

Facebook: acesse aqui!

Almoço executivo de terça a sábado, das 11h30min às 14h30min

Aos domingos, almoço família

Happy Hour de terça a sábado

Jantar de terça a sábado

Mix, aliviando as gordices em Gramado

Gramado tem tudo quanto você possa imaginar em se tratando de gastronomia. Um fim de semana por lá invariavelmente envolve ganhar algum peso. Não tem como – nem faz sentido – escapar de um bom fondue ou da envolvente culinária mediterrânea, que tem tantos representantes nas Hortênsias. A boa notícia é que, nos intervalos entre um excesso e outro, tem como fazer uma refeição fresca, saudável e barata.

DSC_4487

Estrategicamente localizado na avenida das Hortênsias, o Mix – Saudável com Sabor é uma mistura de lanchonete fitness com loja de alimentos naturais. Com muitos fãs entre a população local, entrega saladas no pote e lanches saudáveis a duas rodas – incluindo hotéis, se você quiser desfrutar de um almoço rápido sem sair do quarto.

DSC_4484

Além do cardápio fresco preparado na hora, o Mix, repetindo, também funciona como lojinha de snacks saudáveis e ingredientes para você preparar o seu cardápio fitness em casa. Pra quem está só de passagem, vale a pena sentar e provar as opções do cardápio, com preço bem vantajoso para o padrão Gramado.

 

 

DSC_4473

Essa salada de alface, rúcula, tomate, azeitonas, ricota, finas fatias de pepino e parmesão custou somente R$ 11,00. Fiz a excentricidade de pedir uma porção extra de proteína e quase não consegui terminar o almoço, tão bem servido que era. Essa é uma opção para todas as saladas. Por R$ 4,00, você pode acrescentar frango, filé mignon, proteína de soja, calabresa ou lombo.

DSC_4478

Ah, no Mix você não apenas curte várias opções saudáveis, mas também aprende na bandeja. Adoro!

DSC_4476

Pra quem não está afim da saladinha ou prefere uma refeição quente, a casa tem quase 10 opções de wraps. Esse aí é picantemente delicioso: filé grelhado, cheddar, alface americana e molho acebolado com tomates levemente picantes! R$ 14,00.

DSC_4482

E pra não dizer que a experiência não foi completa, tive que provar o açaí da casa, que custou R$ 8,00 e foi aprovadíssimo. Bem gelado, com granola e banana. Hehe 😉

Gramado não é só gordice, gente! Aliás, Bento Gonçalves também não…mas esse é assunto de um próximo post. Beijo, fui comer!

 Mix – Saudável com Sabor

Avenida das Hortênsias, 2112, loja 1

Aberto de segunda a sexta, das 10h às 19h; sábados, das 10h às 18h

(54) 3294 1224

Facebook: clique aqui!

Vindima 2015 (Parte 3 de 3): Wine Garden, tudo de especial

A Vindima 2015 foi deliciante, como diria Jorge Bem Jor. Mas o verão se vai e junto dele, a colheita se encerra, dando lugar ao lento e místico processo que transforma a uva em vinho. Não sei você, mas eu não posso reclamar: vivi, provei e curti grande parte das atrações e posso afirmar com orgulho que sou uma turista da minha própria cidade!

Pra quem perdeu o bonde, o próximo fim de semana (14 e 15 de março) é a última oportunidade pra aproveitar a programação dessa festa que simboliza a união do colono e do viticultor. Depois, é bom tirar o mofo dos casaquetos que vem aí o inverno. Contudo, porém, todavia…nem todas as novidades que chegaram com a vindima estão indo embora com ela! Algumas maravilhas que Bento Gonçalves oferece poderão ser desfrutadas o ano todo.

DSC_4773

O Miolo Wine Garden é o meu novo “lugar preferido” pra um domingo de sol em Bento Gonçalves. Três motivos que vão te convencer rapidinho: entrada free, vinhos e espumantes pra todo tipo de bolso e um blaster espaço pra curtir a dois, com a criançada serelepe ou com os amigos.

DSC_4770

O wine bar aproveita toda a estrutura da Miolo, com bons banheiros, varejo, um enorme parque com lagos e um espetacular gramado pra se atirar com a família.

DSC_4772

Pra bem receber a criançada, um monte de lápis e desenhos pra pintar. Mas, com tanto verde, eles nem teriam tempo pra ficar entediados.

 

DSC_4798

O projeto estreou há menos de um mês e já está superfrequentado. O tempo ajuda, claro, mas a ideia de bebericar um bom vinho lagarteando ao sol do inverno também é bem atraente.

DSC_4781

O cardápio do wine bar é democrático. A carta de vinhos vai praticamente do 8 ao 80 – taças de espumante a R$ 8,00 e o nobre tinto Lote 43 a R$ 105,00 a garrafa. Suco e água para o motorista da rodada 🙂

DSC_4794

As opções pra comer também tem preço e sabor convidativo. O cardápio da casa estreou com algumas opções de sanduíche, uma quiche da estação, tábua de frios, bruschettas e salada de frutas. Aliás, nem tinha reparado na salada de frutas porque troco quase tudo por uma quiche… mas analisando agora, tem opções pra todos os gostos e fomes. E soube, em primeira mão, que vem por aí um cardápio quentinho pra harmonizar com os vinhos da Miolo nesse inverno.

CSC_4779

A vida é feita dessas coisas… dias meia boca e dias em que podemos sentar num gramado desses e dividir uma risada com alguém que nos é importante. Esse post encerra a minha série sobre a Vindima 2015, mas desejo vida longa ao Miolo Wine Garden porque o meu lugar nesse gramado eu já reservei!

Miolo Wine Garden

ERS-444, Km 21, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves

Aberto aos sábados, domingos e feriados

Aceita cartões

Vindima 2015 (Parte 2 de 3): Mamma Gema, que fartura!

DSC_4089

O Mamma Gema é um restaurante tão clássico no Vale dos Vinhedos que fiquei surpresa ao descobrir, numa pesquisa rápida, que a trattoria ainda nem completou cinco anos. No inverno e no verão, a casa está sempre bem frequentada por sua localização estratégica no coração da maior região produtora de vinhos do país e, naturalmente, porque se trata de um legítimo representante da exuberância gastronomia da Serra Gaúcha. O banquete é para fortes!

DSC_4087Restaurantes típicos, a região tem vários, mas poucos alcançam a excelência do serviço e da entrega que o Mamma Gema tem. É que a comida, quando em farta quantidade, precisa ter alma. O que ocorre muito nesse sistema de rodízio “sem fim” é que a massa acaba sendo insossa, a carne passa do ponto e a gente passa dos limites sem saborear nada realmente autêntico. É por isso que eu recomendo o Mamma Gema sem pestanejar.

pizza vinhosAlém de um espirituoso proprietário que é ex-zagueiro profissional e está sempre por perto para receber o público, o lugar se diferencia também por uma grandiosa adega aberta ao público, onde o cliente pode se divertir escolhendo seu vinho em meio ao armazém de produtos coloniais. Nesse andar térreo do casarão, também funciona à noite o “Pizza entre Vinhos”, outra delícia que o só o Vale dos Vinhedos oferece. Leia mais aqui!

DSC_4057O “serviço completo” do Mamma Gema inclui muita, muitíssima comida. A saladinha em questão, embora deliciosa e tipicamente ornamentada com uvas, é só uma pegadinha perto da extravagância que se apresenta a seguir.

DSC_4055

Começando por um clássico, essa polentinha mole com ragu foi o prato mais marcante pra mim, de completo apelo emocional. Quem teve uma nona na infância, provavelmente vai saborear com carinho essa panelinha.

DSC_4060

 

Depois, um risoto de alcachofras bem elaborado.

 

 

DSC_4061

Uma tradicional massa carbonara.

DSC_4064

Um frango ao molho de ervas finas delicioso, que foge totalmente ao tradicional galeto servido em outros restaurantes.

DSC_4068O melhor da casa: tortelloni à bolonhesa, com pasta de salame e iscas de filé. Esse prato eu precisei repetir e ainda teria pedido pra levar uma quentinha, se cara de pau fosse o meu forte.

DSC_4072

Um filé básico e uma massa ao pesto, porque os rodízios italianos da Serra gaúcha nuuuuunca terminam.

 

DSC_4075E como realmente não terminam, ainda veio um ravióli maravilhoso com molho de gorgonzola e nozes…

DSC_4078…e um tradicional tortéi à moda da casa, com molho de tomate seco e castanhas torradas.

Esse banquete é para fortes, como eu disse antes, mas acho que todo mundo merece seus dias de insanidade gastronômica. Me perdoem os nutricionistas, mas prefiro pensar que um excesso de vez em quando faz parte do que eles chamam de “dieta balanceada”. 😉

DSC_4082

Ah, claro, um bom restaurante italiano tem vinho até na sobremesa. O Mamma Gema acertadamente escapa do tradicional sagu com creme pra servir essa releitura do clássico: um sorvete artesanal de creme com calda de vinho. Tudo isso que foi apresentado custa em torno de R$ 60,00 sem bebida.

Mamma Gema Trattoria

Estrada RS 444, Km 18,9, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves (RS)

Reservas: (54) 3459-1392

Site: clique aqui!

Vindima 2015 (parte 1 de 3): passeio inebriante no Parque Dal Pizzol

Os encantos da Vindima estão por toda a parte. A história, os aromas, os cachos verdes, rosas e violáceos pendendo nos vinhedos e as taças cheias tilintando em um brinde pela fartura. É um tremendo desperdício que tantos turistas venham a Bento Gonçalves especialmente para contemplar esse espetáculo do homem e da natureza, enquanto muitos que vivem aqui jamais tenham experimentado pisar a uva e estender uma toalha à sombra dos parreirais, perdendo um mundo de sensações que se apresenta ao nosso redor.

DSC_4136

Bento Gonçalves tem cinco roteiros turísticos que se pode percorrer praticamente de graça. A saber, nem só do Vale dos Vinhedos vive o turismo local: temos os Caminhos de Pedra, o Vale do Rio das Antas, A Rota das Cantinas Históricas e os Encantos da Eulália. Na última semana, tive o prazer de integrar um grupo de 17 jornalistas de todo o país convidado a conhecer esses destinos do nosso interior. Foram quatro dias extenuantes, mas de uma autenticidade cultural notável. Separei essa experiência em uma série de três posts e, pra começar, vos apresento aquela que considero uma das vinícolas mais receptivas de Bento Gonçalves: a Dal Pizzol.

DSC_4144

Nesse dia, a programação foi especial e intensa. Uma vez por ano, a vinícola reúne convidados para fazerem a colheita simbólica no Vinhedo do Mundo, a terceira maior coleção privada de uvas, com 390 variedades de 30 países. A mim, coube a responsabilidade de colher um cacho da variedade francesa Fer. Essas e as outras 40 variedades colhidas serão vinificadas sob o comando do enólogo Dirceu Scottá, dando origem à 5ª edição do Vinum Mundi, uma edição limitada que a vinícola não vende a preço algum, apenas presenteia algumas pessoas.

DSC_0469
Foto: Gilmar Gomes

A Dal Pizzol que conheci, na verdade, é um parque temático, pois a produção dos vinhos em si é feita em outra estrutura, logo mais adiante, ainda em Faria Lemos. Nessa área de oito hectares, aberta o ano inteiro, são oferecidos minicursos de degustação e almoços ou jantares para grupos. A degustação de que participei foi às cegas. Embora eu tenha falhado em algumas percepções (achei que o pão fosse biscoito), é sempre interessante a experiência de ver o mundo por meio dos outros sentidos. Em tempo: um casal ou turma pequena de amigos que quiser participar pode ser encaixado em algum grupo já agendado.

DSC_4175

A degustação vale a pena, sobretudo se for coroada com o almoço da Dal Pizzol. O cardápio é simples, mas imbatível, e o pacote com degustação às cegas mais refeição harmonizada sai por R$ 130,00 por pessoa.

DSC_4178

A cantina da Dal Pizzol fica às margens de um lago arborizado, por onde os patos transitam livremente. É o que eu chamaria de “a refeição ideal”: comida de raiz, paisagem inebriante e a bebida que une as pessoas.

DSC_4186

Como de costume, fotos da família ornamentam a cantina, lembrando aos visitantes que essa terra em que pisamos hoje é fruto do sonho de um imigrante.

DSC_4193

Enfim, afora todo o contexto histórico e a beleza natural do lugar, tem a parte da comida, que muito me interessa. Sente o profissionalismo dessa batata assada. Eu até já tentei isso em casa, mas jamais consegui uma casquinha tão crocante.

DSC_4202

Uma dupla de massas clássicas é servida na sequência, mas é bom não se ater muito a isso porque o absolutamente incrível vem a seguir.

DSC_4201

É o lendário xixo da Dal Pizzol. Atenção se você quiser reproduzir a receita em casa. Precisará de uma churrasqueira giratória, azeite de oliva em abundância e muita paciência, porque os espetinhos precisam ficar girando constantemente e sendo regados até ficarem perfeitamente assados e crocantes.

DSC_4205

Um filezinho ao molho de vinho encerra a sequência de salgados…

DSC_4211

…abrindo espaço para o mousse de iogurte natural na calda de vinho, que eu adorei por manter o sabor neutro do iogurte natural e harmonizar perfeitamente com o moscatel da casa. A propósito, todos os pratos foram harmonizados, o que a partir de determinado momento comprometeu minha grafia, levando a uma extrema dificuldade de compreensão dias depois, quando precisei transcrever minhas anotações 😀

DSC_4155

Toda essa experiência foi completa, deliciosa e “embebedante”, mas dá para se encantar com as nuances do parque Dal Pizzol sem gastar um tostão. A visitação é gratuita e você pode estender sua toalha e cesta de piquenique na grama, deixando as crianças (e os adultos, como na imagem) se divertirem nos brinquedos.

DSC_4156

É um gigantesco espaço pra curtir com a família, comprando um bom vinho ou espumante no varejo da vinícola. Eles servem na temperatura ideal!

Esse é um lugar que vale a pena frequentar, sempre respeitando a natureza e o esforço da família para manter o espaço aberto ao público durante todo o ano. A vida é feita de momentos como esse, de trocas e de vivências. A mim, restará a gratidão e a lembrança maravilhosa de ter deixado uma pequena contribuição ao Vinum Mundi safra 2015.

 

Dal Pizzol Adega e Parque Temático

RS 431, Km 5, Distrito de Faria Lemos

Bento Gonçalves (RS)

Contato: (54) 3449.2255

http://www.dalpizzol.com.br/

 

Morangos e tomates que ouvem Bob Marley: como não amar?

Comer é algo que ocupa boa parte do meu tempo livre. Em pouco mais de um ano, esse projeto gastronômico que é minha grande paixão já explorou quase 50 restaurantes entre posts individuais, rankings e relatos de viagem. De uma forma ou outra, todos tiveram seu charme especial, mas a experiência que vos trago hoje é especial e eleva meu nível de exigência a outros patamares. DSC_3679 Não tem maître, não tem requinte e não chega a ser “caaaaaaro”. O Barlavento, que muitos conhecem simplesmente por “morangos hidropônicos” é, certamente, um dos lugares mais autênticos e receptivos que o Culinarismo já visitou. Quem imaginaria um universo tão marítimo encrostado no meio da Rota do Sol? Fechando essa porta mágica atrás de mim, abri um mundo de redes balançantes sob a brisa do verão, comilanças inesquecíveis e (pasme) morangos e tomates hidropônicos que crescem ouvindo clássicos do rock, reggae e música latina!!! DSC_3705 DSC_3688 Além do restaurante, o lugar abriga uma hospedaria e toda a plantação de morangos, tomates e manjericões hidropônicos e orgânicos que são a base do cardápio.Os animais de estimação são bem-vindos na parte externa do restaurante, desde que mantidos na guia. Há banquinhos e mesas nessa área, então é um bom lugar pra curtir com o seu amigo cão!   DSC_3722 DSC_3696 Se você for apenas numa turma de humanos e tiver a oportunidade de se sentar nas mesas internas, não deixe de reparar em cada detalhe da decoração praieira do lugar. Não tive oportunidade de conhecer o dono (ou dona), mas parece que tudo faz parte de uma coleção pessoal. Boias marítimas e quadros, muitos quadros, ocupam as paredes do Barlavento. Não tem como ficar entediado esperando a comida. Há muito o que explorar. DSC_3697 No bom do verão, o fogão a lenha ficou só pra decoração, mas fiquei imaginando que no inverno deve ser muito bom desfrutar de uma taça de vinho ao anoitecer. Tentei provar o máximo de pratos do cardápio, o naturalmente me levou a passar dos limites. Pela fama dos morangos hidropônicos, há muitas opções doces – nem todas hipercalóricas, como se poderia imaginar. Há iogurtes com morango e também opções sem lactose. Entradas, sanduíches e massas completam a diversão! DSC_3699 Sabedora de que a sobremesa ia ser corpulenta, pulei as bruschettas e pedi tomatinas como entrada. Temperadas com azeite de oliva, balsâmico e adobo, uma versão menos apimentada do famoso chimichurri uruguaio. Incrivelmente doces, esses tomatinhos serviram duas pessoas muito bem por R$ 14,50. DSC_3717 Na dúvida entre sanduíche e massa, dividi os pedidos com a família pra podermos provar um pouco de tudo. Quando os pratos chegaram, confesso que não dei muito ibope pra esse exemplar batizado de Diabo da Tasmânia. Depois de duas mordidas, não queria mais devolver para o dono. Vale a pena o investimento de R$ 25,00 por essa delícia com filé mignon, queijo derretido e molho de pimentões com cebola. DSC_3719 Essa massa eu vi chegar na mesa do lado e preferi pedir antes que o prato deles caísse no chão. Borbulhantes, os conchigliones vieram recheados com tomate cereja e manjericão e gratinados com queijo. Comi sozinha a porção de R$ 36,00, mas a verdade é que serviria duas pessoas sem deixar ninguém com fome… DSC_3732 …principalmente se você planejar sucumbir a essas doces tentações. O crepe com creme de chocolate e morangos hidropônicos é altamente maravilhoso e não chega a ser enjoativo. Custa R$ 26,00. DSC_3727   Mas se, assim como eu, você não resiste a um sorvetinho, vai direto nessa taça Barlavento Morango: sorvete de chocolate e creme com marshmellow e calda de morango. R$ 18,00 por essa experiência divina. Não conte as calorias! DSC_3703 DSC_3743   Depois de tudo, uma sesta nas redes porque, afinal, não havia motivos pra ir embora.Se a casa é receptiva aos cães, imagine às crianças! O parquinho convida a aventuras e dele se escuta perfeitamente o playlist escolhido não para os clientes…   DSC_3744 …mas para os morangos, tomates e manjericões!!! Sabe-se lá que efeito isso tem sobre as plantas, mas na pior das hipóteses embala a vida de quem as cuida, né? Nessa tarde de verão em que estive no Barlavento, as plantinhas estavam se desenvolvendo tranquilas e hidroponicamente felizes ao som de Bob Marley! DSC_3691 A única desvantagem do lugar é que não aceita cartões, mas a caixa esclareceu o motivo: no Barlavento, não chega sinal! O jeito é separar uma graninha! Rio do Vento Hidroponia RSC-453, Km 154, Rota do Sol Caxias do Sul – RS Aberto de segunda a sexta, das 8h às 9h; sábados, domingos e feriados, das 8h às 20h, com horário estendido no verão. http://www.riodovento.com.br

Uma opção de boas-vindas nos Caminhos de Pedra

Vem aí a Vindima 2015 e, até março, o Culinarismo vai mergulhar de cabeça nos delírios gastronômicos da Serra. Mas, antes disso, que tal uma refeição diferente? Afinal, nem só do magnífico trio galeto/polenta/massa vivem os restaurantes locais. Procurando aqui e ali a gente encontra um jeitinho de variar o cardápio e conhecer novos sabores. Aliás, esse é um trabalho que o Culinarismo faz pra você com o maior prazer! Pois bem: procurando sair do comum sem gastar muito e, de quebra, em meio a um dos roteiros turísticos mais consagrados da região?

DSC_3362

Eis o Gran Mangiar, um bom restaurante com ótimos preços no acesso aos Caminhos de Pedra, em Bento Gonçalves. Abre no almoço e no jantar. Ou seja, pode ser o ponto de partida ou chegada de um passeio pelos encantos da arquitetura da imigração italiana.

DSC_3365

O ambiente é amplo bem projetado e espaçoso, com acesso por um deck charmoso, iluminação na medida e cadeiras confortáveis. Inaugurado em outubro, o restaurante tem nome italiano, mas vai além da proposta de rodízio farto que termina com culpa na consciência e chá de boldo.

DSC_3371

A casa até possui uma opção de sequência com grelhados e massas, mas também oferece um cardápio sucinto de pratos contemporâneos que ganham o cliente pelo visual. Carnes acompanhadas por legumes ou purês são uma porção na medida pra quem deseja uma refeição saborosa sem extrapolar os limites de uma dieta balanceada. Provei três pratos da casa e, como era de se esperar, não sobrou espaço para a sobremesa. Então, ainda devo uma nova visita ao GranMangiar.

DSC_3375

O risoto à moda do chef, com alho poró, filé e dijon, é gostoso e custa R$ 23,00.

DSC_3382

Pra quem gosta de costelinha, indico esse prato delicioso, com molho de limão e purê de mandioquinha. R$ 25,00.

DSC_3374

Provei também o filé de cação ao molho de maracujá e purê de cenoura por incríveis R$ 15,00. Vem com aspargos frescos, que eu amo! Na hora, eu provei e gostei… depois, fiquei pensando nas consequências de aceitar carne de tubarão no seu prato. Só pra citar três: o risco de extinção; o desequilíbrio ambiental que ocorre quando você elimina animais do topo da cadeia alimentar; e a ingestão de níveis de mercúrio acima dos tolerados pela legislação brasileira, o que também está relacionado ao fato de ser um animal do topo da cadeia alimentar, que se alimenta de outros animais.

De qualquer forma, o ambiente é muito legal e o cardápio traz opções diversas, coma você ou não qualquer tipo de carne. Vale a visita!

Gran Mangiar Restaurante

Entrada para os Caminhos de Pedra, Bento Gonçalves

Aberto de terça a domingo para o almoço e de quarta a sábado para o jantar. Nas segundas à noite, somente com reservas.

(54) 3453 7473

granmangiar@gmail.com

Facebook: clique aqui

Culinarismo + Senhor do Malte: um feliz 2015 regado a cervejas especiais!

O ano novo não poderia ter começado melhor aqui no Culinarismo, porque o meu presente pra você é vitalício! A alegria é tanta que vou direto ao ponto: a partir de hoje e para todo o sempre, você, prezado leitor, tem 5% de desconto em todas as suas compras na Senhor do Malte, a primeira loja online especializada em cervejas especiais na Serra Gaúcha, com mais de 200 rótulos de 10 países.

DSC_3395

É uma dica e tanto pra você harmonizar com excelência as dicas culinarísticas, não? Além de reunir cervejas para todos os gostos com a facilidade da compra online, a Senhor do Malte também tem os copos ideais pra sua degustação e kits presente pra fazer bonito! Eu mesma já comecei a aproveitar os descontos e encerrei 2014 com uma degustação de seis rótulos combinada com pizza vegana da Flower Power, de Garibaldi (não conhece? Clica aqui).

A gente sabe que gostos, cores e amores não se discutem. Que dirá a cerveja ideal. Ainda assim, reuni minhas qualidades de boa bebedora e péssima entendedora de cervejas pra trazer umas dicas de rótulos pra lá de especiais – alguns deles, com distribuição exclusiva da Senhor do Malte no Rio Grande do Sul.DSC_3522

Comecei de leve, com a German Pilsner alemã criada em homenagem aos 40 anos da banda AC/DC. Não é apenas uma cerveja leve num latão estiloso: ela é produzida de acordo com a Lei de Pureza Alemã e ainda por cima tem um baita desconto no site: R$ 14,90 na embalagem de 568ml.

DSC_3402

Weiss não é bem o meu estilo de cerveja: mais pela culpa do trigo do que qualquer outro motivo. Mas essa Matilda frutada e de rótulo simpático ganhou meu coração. Apesar de turva, é leve e aromática. É que, pra mim, o aroma é fator imprescindível pra levar o copo à boca. Fedeu, não bebo. Por isso a Matilda foi eleita a minha Weiss preferida! Ela cheira bem demais!!! Produzida em Volta Redonda (RJ). DSC_3411

A California Golden Ale da Basement refermentada na garrafa tem um amargor pronunciado e, pra mim, um aroma fresco de maracujá. É um rótulo pra quem já aprecia uma cerveja mais robusta.  Medalha de prata na Associação Brasileira de Degustadores de Cerveja (Abradeg) 2012 e prata também no Festival Brasileiro da Cerveja 2014. Produzida em Videira (SC).

DSC_3414

Porreta é o melhor nome para esse pequeno exemplar de IPA Cacau. Seus singelos 300 ml com 6% de grau alcoólico são para paladares fortes. O aroma e sabor de chocolate são marcantes – resultado da adição de cacau especial para uso cervejeiro vindo diretamente do sul da Bahia. Produzida em São Cristóvão (RJ).

DSC_3417A american stout Lobisomen é escura, de espuma marrom bastante cremosa. Lembra café e chocolate amargo e integra a série Folclore, da Cervejaria Wensky, de Araucária (PR). Aliás, trata-se de uma medalhista: Prata na South Beer Cup 2014 e Bronze no Festival Brasileiro da Cerveja 2014.

 

DSC_3521

E, pra encerrar essa degustação (que, confesso, foi feita em duas etapas, porque eu já não atinava mais das ideias depois do terceiro exemplar), uma surpresa para alegrar o 2015 dos celíacos que acompanham o Culinarismo. Esta é a Lake Side, a primeira cerveja sem glúten genuinamente brasileira, produzida em Passo Fundo (RS) há cerca de um ano. É uma lager que preserva sabor e aspecto artesanal, apesar do processo que garante a degradação do glúten, um procedimento exclusivo e protegido por pedido internacional de patente.

Ah, e como se não bastasse o agradinho especial pra leitores do Culinarismo, a Senhor do Malte ainda tem uma política superjusta de frete, com entrega grátis para Bento Gonçalves nas compras acima de R$ 50,00 e condições especiais para o restante do país, com possibilidade de entrega gratuita dependendo do volume encomendado. É só acessar a “política de frete” no site e fazer a festa. O pagamento, claro, é seguro e a caixinha personalizada protege sua cerveja na viagem!

Pra garantir o desconto em todas as suas compras a partir de hoje, basta digitar o cupom CULINARISMO5% na finalização do carrinho!

Acessa agora: www.senhordomalte.com.br