Arquivo da categoria: Delivery

Bento Gonçalves: um guia completo de sushis

Pela segunda vez, promovi aqui em casa uma divertida degustação comparativa às cegas. Depois do ranking dos xis de Bento Gonçalves, agora avaliamos os principais restaurantes de sushi. Em cada um deles, pedimos os quatro clássicos dessa culinária, garantindo uma avaliação bem linear, porque provamos os mesmos tipos de sushis em cinco lugares. Provamos também uma especialidade de cada, deixando livre para casa restaurante enviar uma sugestão entre suas peças mais pedidas.

Sobre as regras ::::: Essa foi uma degustação às cegas. Os convidados só souberam a procedência de cada sushi no final da noite. Numa planilha, seis pessoas deram notas de 5 a 10 para a apresentação e + as cinco peças pedidas em cada lugar: sashimi, niguiri, hossomaki, uramaki e a especialidade da casa. A degustação foi sequencial. Ou seja, provamos todos os sashimis e pontuamos, para só então seguir para os niguiris, e assim sucessivamente.

Pra esse evento degustativo, o Culinarismo buscou referências da melhor qualidade com o dono do Umai-Yoo, que não entra nesse ranking porque fica em Caxias e cuja qualidade da gastronomia oriental ninguém discute. Foram dicas valiosas que nos ajudaram a melhor degustar. Além do padrão e espessura dos cortes, que faz muita diferença na apresentação e sabor do sushi, tivemos um cuidado na avaliação do arroz, atentando para o sabor (não pode ser muito doce), a textura (tem que ser levemente “passado” mesmo) e a acidez (tem que estar presente, mas bem levemente).

Inclusive, descobrimos que o sushi pode ser feito com arroz de grãos curtos ou longos. Isso é parte da assinatura de cada restaurante. Também apontamos os restaurantes que enviaram gengibre, wasabi e shoyu. Enfim, seguimos esses critérios e outras dicas específicas que divido com vocês:

 

# O sashimi: deve seguir um padrão, principalmente de espessura.

 

# O niguiri: arroz com uma fatia de salmão por cima. O ponto do arroz e o aperto no preparo é o que evitam que a peça quebre ao pegar. O ideal de tamanho é o tamanho da boca. Uma peça muito grande se torna difícil de comer.

 

# O hossomaki (arroz por dentro, alga por fora):  é difícil manter a crocância da alga, principalmente em serviços de delivery, em que o cliente vai comer as peças bem depois do preparo. Mas a alga não pode estar muito mole ou muito úmida.

 

# O uramaki (alga por dentro, arroz por fora): o Filadélfia é o tipo mais comum, mas é nesse tipo de sushi que os restaurantes acrescentam outros peixes e ingredientes por cima, como abacate, molho de pimenta, geleias, etc, criando sabores além do convencional.

 

# Especialidade da casa: aqui a coisa variou bastante – inclusive um dos restaurantes mandou um temaki como especialidade. Avaliamos a criatividade, a execução e a apresentação.

 

Isso não é um ranking, ninguém aqui se coloca como avaliador profissional de sushis (risos), mas precisamos concordar que nenhum restaurante é o salão do Master Chef, onde os candidatos são avaliados por experts do ramo. Restaurantes fazem comida para clientes – consumidores padrão como nós. Dito isso, espero que você se divirta na leitura como nós nos divertimos na missão!

ATENÇÃO: locais por ORDEM ALFABÉTICA. As placas se referem apenas à ordem de degustação!

# Armazém do Peixe 

Pra pedir, clique aqui!

Pontuação média: 9,1 

Especialidade enviada: foram enviadas várias especialidades, então cada degustador provou uma delas. 

DSC_3960

Comentários da degustação:

Um dos degustadores apontou essa como a apresentação mais elegante e delicada, com uma boa aparência das peças. Foi o único que veio com saladinha de pepino, gengibre e wasabi. As peças tinham bom tamanho, o hossomaki veio com creamcheese, mas o niguiri poderia ter mais sabor. 

 

# Bento Sushi Delivery

Pra pedir, clique aqui

Pontuação média: 8,4

 Especialidade enviada: temaki Filadélfia DSC_3963

Comentários da degustação: o sashimi desse lugar foi considerado o melhor e o único com todas as peças seguindo perfeitamente um padrão de corte. Elogiou-se a espessura e o adicional de gergelim. Entretanto, tivemos um problema de arroz cru aqui, o que, de fato, foi apontado por todos os seis degustadores.

 

# Katsu

Pra pedir, clique aqui

Pontuação média: 8,4 

Especialidade enviada: uramaki maçaricado de salmão com geleia de pimenta DSC_3964

Comentários da degustação: A consistência do arroz foi considerada ótima, nesse lugar tivemos um excelente niguiri. A apresentação ficou comprometida pela especialidade, que, embora tivesse um bom sabor apimentado, não estava crua nem completamente maçaricado, deixando a peça com aspecto ruim. Foi um dos poucos que enviou shoyu.

 

# Sushi Mania

Pra pedir, clique aqui!

Pontuação média: 8,0 

Especialidade enviada: uramakis com lula defumada e camarão 

DSC_3967

Comentários da degustação: Os degustadores acharam os niguiris, hossomakis e uramakis um pouco grandes. O salmão tinha ótima aparência, o que elevou a pontuação. Uma pessoa elogiou o arroz com gergelim. Além do Katsu, foi o único que enviou shoyu.

 

# Yoko Oriental Lounge

Pra pedir, clique aqui!

Pontuação média: 8,5 

Especialidade enviada: diferentes uramakis com salmão flambado, cream cheese e crispy de alho 

DSC_3968

Comentários da degustação: os niguiris estavam bastante grandes, dificultando comê-los por inteiro. Os hossomakis, ao contrário, estavam bastante pequenos. A pontuação que pesou foi o sabor. O tal do crispy fez muito sucesso!

Bento Gonçalves: tele-entregas de almoços caseiros e saudáveis

–> ATUALIZADO EM 28 DE JULHO DE 2017

Não tem desculpa pra pular o almoço ou enfiar o pé na jaca trocando a comida pelo xis bacon (embora isso seja bem prazeroso de vez em quando). Sem tempo, sem disposição pra cozinhar e sem marmita no trabalho, decidi aderir a uma tele-entrega de almoço: comida de verdade, com sabor de feito em casa e ingredientes naturais.

Provei quatro diferentes fornecedores desse tipo e te conto que existe uma dose grande de ideologia por trás de cada marmita que chegou lá em casa. Em comum, os negócios priorizam a comida de verdade e têm cardápios que trazem um prato pra cada dia da semana. Fora isso, são propostas diferentes, cada qual com seu ponto forte. Vejamos:

 

Bistrô Gastronomia Inteligente

Quando atende: segunda a sábado, das 8:00 às 14:00

Como pedir: fone/whatsapp: (54) 99136-1550 Facebook: clique aqui!

Quanto custa: 16,00 o prato do dia

 

A comida feita à mão, saborosa e bem elaborada do Bistrô – Gastronomia Inteligente chega quentinha e com o mimo de um docinho pro final (porque ninguém é de ferro). A cada dia da semana, um jeitinho instigante de conquistar a clientela: Segunda Leve, Terça Gostosa e por aí vai. A proposta aqui não é ser light, mas oferecer um almoço balanceado pra quem não tem tempo de cozinhar ou não sabe. E realmente, o preço é de surpreender diante de opções como filé ou frango à parmegiana.

IMG_4970

O que eu provei: penne com filezinhos e molho de mostarda, aipim fritinho e uma salada ótima de cenoura com ovos que eu já reproduzi diversas vezes depois disso.

 

Levit Alimentos

Quando atende: segunda a sexta, das 9h às 12h

Como pedir: fone/whatsapp: 54 99967-8543 | Facebook: clique aqui!

Quanto custa: R$ 17,00 o prato do dia

A ideia surgiu quando não existia nenhuma opção de delivery saudável na cidade. Eles não vendem dietas, mas opções de pratos que se encaixam muito bem na vida de que está passando por restrições alimentares ou só está pensando numa comidinha leve. São cinco combos fixos no cardápio, duas opções de saladas e o prato do dia. Os alimentos são preparados com baixíssimo teor de gordura (verdade, meu frango veio sem pele), pouco sal (verdade também) e nenhum condimento artificial. A embalagem é livre de bisfenol.

IMG_5028

O que eu provei: sobrecoxa assada sem pele e temperada somente com sal, abobrinha grelhada e salada de batata doce com azeitonas e creme de leite sem lactose. Acompanha salada verde com cenoura. Achei saboroso. No começo parecia pouco, mas você nunca deve cair na armadilha de comer na embalagem. Comida tem que ser no prato, e quando me servi a quantidade realmente se tornou bem substanciosa.

 

Novo Sabor Delivery

Quando atende: segunda a sexta, das 8:30 às 13:00

Como pedir: fone/whatsapp: 54 99704 2727 | Facebook: clique aqui!

Quanto custa: R$ 12,00 o prato do dia para uma pessoa. Ou R$ 15,00 para duas.

A pega aqui é comida caseira, caseiríssima, sem custo de tele-entrega no centro e nos bairros Botafogo, Cidade Alta e Planalto. Todo dia, a empresa envia o cardápio do dia pra quem está cadastrado e, dentro do menu do dia, o cliente monta o almoço como preferir. Já são dois anos alimentando um grande pessoal e muita gente pede no trabalho. Os pratos mais pedidos são panquecas, lasanha, bife à parmegiana, frango assado e maionese de batata. Viu? Tudo bem ao estilo da mamãe.

IMG_5833

O que eu provei: o Novo Sabor prometeu uma marmita bem servida e eu fiquei chocada com o que veio. Foram duas belas embalagens de arroz com picadinho de carne e feijão. Mais a salada fresca e umas batatinhas doces fritas. E essa é a quantidade pra uma pessoa. Comemos eu, a ajudante de Culinarismo e sobrou pro jantar. Que boa pedida!!!

 

Nutrittiva Refeições

Quando atende: segunda a sexta, das 8h às 17h

Como pedir: fone/whatsapp: 54 99156 4896 ou 54 3055 2363 | Facebook: clique aqui!

Quanto custa: R$ 15,00 o prato do dia

 

Praticidade é a proposta da Nutrittiva, além, é claro, de um cardápio cuidadosamente elaborado, porque as opções desse delivery são sem glúten e sem lactose. A base do menu são carboidratos complexos, proteínas como a tilápia, por ser um peixe com menor contaminação de mercúrio, além de variados legumes e saladas. Condimentos funcionais fazem parte das receitas (verdade, meu purê de batata doce tinha um delicioso fundinho de gengibre). A embalagem da Nutrittiva também é uma graça, toda personalidade, livre de bisfenol e com divisões internas (acredite: isso pra mim é importante. Eu tenho certo incômodo com as comidas misturadas).

IMG_5363

O que eu provei: filé de tilápia com ervilhas e pimenta biquinho, cenouras tostadas e purê de batata doce com gengibre. Acompanha salada verde. Elogiável composição de cores e nutrientes. Visualmente é um convite ao comer saudável.

Doceria portuguesa: lembranças de família

Conceição, minha vó. Portuguesa, com certeza!
Conceição, minha vó. Portuguesa, com certeza!

Esta ao centro é minha vó Conceição. Ao redor dela, nove dos 10 filhos no aniversário de 15 anos de minha mãe, que é a caçula. Herdei dela a origem portuguesa que me traz certa fascinação por Lisboa e o desejo de, um dia, explorar mais a gastronomia lusitana direto na fonte. Quando a conheci, Conceição já era uma senhora de idade e quem lidava com as panelas era a ajudante fiel, que, por acaso, se chama Ana, assim como eu e minha mãe. Pelas mãos de Ana, comi muita ambrosia e arroz doce. Comi até enjoar, nas férias em que pude conviver com minha vó, porque nunca morei perto.

Continue lendo Doceria portuguesa: lembranças de família

Um burguer artesanal que é maremoto de sabor

Juliana e Henrique primeiro cansaram das profissões de oito horas diárias em escritório e investiram tudo no projeto de um trailer de burguers artesanais. Depois, cansaram de estar longe da família e voltaram de São Paulo para Bento Gonçalves – trazendo junto o trailer. Sorte nossa, porque assim pudemos conhecer essa explosão de sabores e ingredientes nada usuais que se misturam no Maremoto Hamburguer Artesanal.

12108714_1197665570246304_65869653105787950_n

Conheci por indicação, porque eles estão atendendo há apenas três meses na Serra Gaúcha, participando de eventos de rua esporadicamente, mas, principalmente, atendendo via tele-entrega para almoço e jantar. São 14 sabores de burguers tradicionais, especiais e os incríveis vegetarianos que são re-al-men-te surpreendentes.

Muitas das receitas desenvolvidas pelo Henrique – com todo o apoio administrativo e marqueteiro da Juliana, claro – levam o nome de rotas conhecidas pelos motociclistas. Provei três deles, que vêm acompanhados de uma deliciosa maionese caseira verdinha e com aquela pegada de alho.

DSC_0412

Peguei o campeão de vendas Rota 66 pra conferir se é mesmo tudo aquilo que tinham me contado. E realmente é. O pão australiano dá todo um adocicado ao recheio substancioso de hambúrguer, cheddar derretido, bacon e cebola refogada no shoyu. Se você ficar em dúvida do que pedir, vai nesse com certeza. R$ 22,00 é o preço.

DSC_0427

O Rota 9 também é uma delícia com referências uruguaias e preço de R$ 20,00. O cheirinho de chimichurri vai longe e a combinação com pimentões e cebola na chapa deixa a receita bem rústica. Os hambúrgueres usados pelo Maremoto são bem generosos. Lembre de pedir bem passado se você não tolera aquele vermelhinho na carne.

DSC_0408

Aliás, se você não tolera carne nenhuma pode investir sem medo nas opções vegetarianas do Maremoto. Comi o Imigrantes e fiquei surpresa com o hambúrguer de falafel, que é uma mistura de grão de bico com especiarias. Não foi a primeira vez que provei hambúrguer de grão de bico, mas esse estava crocante e bem fritinho. Combinado com antepasto de berinjela e abobrinha, pimentões, uvas passas e castanhas, cebola e queijo branco fica uma coisa de louco. Tudo no pão de chia.

O Maremoto não tem ponto fixo – ainda – mas isso não é problema.

Peça pelo face: aqui!

Peça pelo site de delivery: aqui!

Uma viagem à Ásia com o menu do China Thai

DSC_0088De volta a Bento Gonçalves depois de 10 anos na Austrália e Indonésia, o chef Leandro Scotta criou aqui um cantinho asiático de sabores exóticos. Uma viagem para o outro lado do mundo em pratos da gastronomia chinesa, tailandesa e indonésia. O restaurante fica no bairro Santa Rita, mas não é difícil de encontrar. Você precisa entrar no salão para sentir o clima hinduísta e natural a que o lugar se propõe.

DSC_0103

Para chegada, você pode curtir um chá oriental ou pular essa etapa direto pra carta de vinhos, o que, por vezes, é mais do que necessário. A proposta étnica exige paladar curioso, mas não se preocupe: apesar da característica apimentada da maioria dos pratos, o chef deu uma dosada para as preferências locais e há opções no cardápio que não vêm com pimenta.

DSC_0111-(2)

Uma boa pedida para entrada são os guiozas de carne suína com pimenta doce à parte. Já tinha provado similares em Três Coroas, no restaurante ao pé do templo budista, e é algo que eu adoro. Aqui, você pode comer de uma forma bem original, com hashis. A louça e boa parte da decoração vieram direto do Oriente, na mala do chef 😉

DSC_0110

Do cardápio chinês, provei a massinha de arroz com camarões, repolho e carne suína. Recomendo pra quem não pode ou não gosta de pimenta.

DSC_0126

Um aperitivo do menu que eu amei mesmo depois de saber que não é nada light são as coxinhas BBQ. Comeria várias, mas meu prato favorito (já voltei e já repeti, que conste)…..

DSC_0118

É o Kho Phi Phi, a massinha tailandesa com frutos do mar, umas castanhas, uma misturinha muito louca e, por que não, uma certa dose de pimenta – grau 1, no meu caso. Se você é indeciso como eu, quando for ao #chinathai aposte logo na sequência da casa e aproveite um pouco de cada vertente da casa por R$ 100,00. Como sempre, não me sobraram forças para a sobremesa.

A tele-entrega do China Thai vem fazendo sucesso, mas, pelo menos uma vez, indico visitar o restaurante pra conhecer o verdadeiro clima asiático e receber os cumprimentos do chef.

China Thai

Rua Antônio Fornazier, 245

54 9666-3801

Facebook: Acesse aqui!

Mix, aliviando as gordices em Gramado

Gramado tem tudo quanto você possa imaginar em se tratando de gastronomia. Um fim de semana por lá invariavelmente envolve ganhar algum peso. Não tem como – nem faz sentido – escapar de um bom fondue ou da envolvente culinária mediterrânea, que tem tantos representantes nas Hortênsias. A boa notícia é que, nos intervalos entre um excesso e outro, tem como fazer uma refeição fresca, saudável e barata.

DSC_4487

Estrategicamente localizado na avenida das Hortênsias, o Mix – Saudável com Sabor é uma mistura de lanchonete fitness com loja de alimentos naturais. Com muitos fãs entre a população local, entrega saladas no pote e lanches saudáveis a duas rodas – incluindo hotéis, se você quiser desfrutar de um almoço rápido sem sair do quarto.

DSC_4484

Além do cardápio fresco preparado na hora, o Mix, repetindo, também funciona como lojinha de snacks saudáveis e ingredientes para você preparar o seu cardápio fitness em casa. Pra quem está só de passagem, vale a pena sentar e provar as opções do cardápio, com preço bem vantajoso para o padrão Gramado.

 

 

DSC_4473

Essa salada de alface, rúcula, tomate, azeitonas, ricota, finas fatias de pepino e parmesão custou somente R$ 11,00. Fiz a excentricidade de pedir uma porção extra de proteína e quase não consegui terminar o almoço, tão bem servido que era. Essa é uma opção para todas as saladas. Por R$ 4,00, você pode acrescentar frango, filé mignon, proteína de soja, calabresa ou lombo.

DSC_4478

Ah, no Mix você não apenas curte várias opções saudáveis, mas também aprende na bandeja. Adoro!

DSC_4476

Pra quem não está afim da saladinha ou prefere uma refeição quente, a casa tem quase 10 opções de wraps. Esse aí é picantemente delicioso: filé grelhado, cheddar, alface americana e molho acebolado com tomates levemente picantes! R$ 14,00.

DSC_4482

E pra não dizer que a experiência não foi completa, tive que provar o açaí da casa, que custou R$ 8,00 e foi aprovadíssimo. Bem gelado, com granola e banana. Hehe 😉

Gramado não é só gordice, gente! Aliás, Bento Gonçalves também não…mas esse é assunto de um próximo post. Beijo, fui comer!

 Mix – Saudável com Sabor

Avenida das Hortênsias, 2112, loja 1

Aberto de segunda a sexta, das 10h às 19h; sábados, das 10h às 18h

(54) 3294 1224

Facebook: clique aqui!

Horta: o melhor do Valle Rustico entregue em casa

Em outubro, completei um ano de Culinarismo. Lá se vão quase 40 textos nessa jornada, mas parece que comecei ontem mesmo. E pensar que, antes disso, eu procurava desesperadamente entre biografias de famosos e livretos de palavras cruzadas um hobby pra chamar de meu. Má observadora de mim mesma, nunca tinha percebido que meu maior prazer – estar à mesa – eu fazia desde sempre. Só faltava compartilhar com alguém essas experiências.

horta externa

Desde então, conheci sabores marcantes, propostas incríveis e ideias que merecem ser espalhadas aos quatro ventos, como essa. Rapidamente situando, o Valle Rustico é um restaurante incrível, localizado na Estrada do Sabor (interior de Garibaldi) e que faz parte do movimento slow food. Na prática, é uma filosofia que se opõe à industrialização dos alimentos, que defende o direito ao prazer de se alimentar e prioriza produtos artesanais de qualidade especial. No Valle Rustico, tudo o que é possível vem da própria horta ou de produtores locais.

horta horta

Falando em Horta (com letra maiúscula mesmo), este é o nome do novo projeto do Valle Rustico, que entrega na sua casa uma refeição completa, fresca e pré-pronta. Com alguns poucos utensílios, uma boa companhia, música de qualidade e uma taça do seu vinho preferido, em 20 minutos você tem à mesa um verdadeiro banquete slow food. Toda semana, o cardápio é definido de acordo com os ingredientes frescos disponíveis. Chega tudo embalado numa caixinha, entregue na quinta-feira. O ideal é preparar o jantar na mesma noite.

horta receitaQualquer pessoa, com qualquer nível de conhecimento culinário, consegue preparar essa refeição. Está tudo explicadinho no guia de procedimentos, que já indica todos os materiais a serem separados antes do início do preparo – tipo, duas panelas, uma colher, uma concha, um litro de água.

horta tudo

Os insumos vêm numerados e embalados a vácuo ou em caixinhas apropriadas. Eles realmente mandam todo o necessário – até mesmo sal e pimenta. É só separar os itens de cada prato e pôr a mão na massa. O mais legal da receita é que a ordem de preparo faz com que tudo fique pronto no mesmo momento pra ser saboreado no ponto. Quer saber qual foi o meu banquete? Então vamos lá:

horta paes

 

Pães de beterraba com manteiga de páprica. Para servir essa entrada, a única indicação era deixar os pães no forno por alguns minutos. Ficou perfeitamente crocante por fora e macio por dentro.

horta salada

As folhas orgânicas da horta ganharam um charme a mais com minicenouras e beterrabas, além de umas amorinhas ácidas. Não havia indicação para lavar as folhas, então creio que o trabalho estava feito. Só tive que colocar tudo numa vasilha e enfeitar com creme balsâmico.

horta risoto

O único prato que realmente exigiu fazer alguma coisa foi o risoto. Passo um: o caldo de legumes. Passo dois: colocar o risoto-base, a moranga cozida, o sal e a pimenta numa panela, acrescentando o caldo e mexendo até ficar no ponto. No final, colocar o queijo fontini e mexer bem para ficar ainda mais cremoso. O detalhe das amêndoas entrou somente no prato, pra dar uma textura a mais. Pra quem ama fazer e comer risoto, como eu, esse foi certamente o preparo mais fácil até hoje.

horta peixe

O peixe meca com legumes estava no forno desde o início do preparo e essa foi a minha única função. Seja lá todo o preparo anterior que tenha envolvido esse prato, estava simplesmente magnífico.

horta sobremesa

 

Pra encerrar esse banquete com total originalidade, as sobremesas eram deliciosas lâminas de maçã com creme de cumaru – a baunilha brasileira. Tem coisa mais autêntica? Só precisei empratar.

 

Essa é a proposta da Horta. Você levaria horas e horas pra fazer tudo isso desde o começo, mas com uma mãozinha do chef Rodrigo Bellora e sua equipe, levei apenas 20 minutos. O jantar completo, para duas pessoas, vai custar cerca de R$ 130. Adorei e assino embaixo!

 

Horta

Facebook: clique aqui!

(54) 3459-1162 e (54) 8123-0080

Flower Power: comida vegana com amor e com sabor

O histórico de postagens desse site revela claramente minha dieta carnívora. Sou bem adepta a um churrasquinho malpassado e às vezes chego a sonhar acordada com as parrilladas que devorei em Buenos Aires. Mas tudo é uma questão de estar aberto a novas experiências e novos sabores. Comida vegana? Pode ser uma opção saborosa e nutritiva até para pessoas com dietas como a minha. Em Buenos Aires mesmo, quando precisei aliviar a orgia gastronômica, conheci o PicNic – um fastfood vegano no coração da tumultuada Rua Florida.

eu

A boa notícia é que não precisa ir tão longe para provar uma culinária saudável e feita com ingredientes locais. Na verdade, não precisa sequer sair de casa. Meu caso com a Flower Power foi amor à primeira vista e, por isso, estou comprometida a disseminar essa ideia. Afinal, esse negócio familiar leva pras pessoas lanches veganos feitos com carinho e uma dose extra de sustentabilidade.

A premissa da Flower Power é preparar comidas simples e saborosas com o máximo de ingredientes orgânicos. Como toda a comida vegana, os produtos têm 0% lactose e eles também oferecem muitas opções sem glúten também. Tudo é feito na propriedade do casal, no interior de Garibaldi.

O cardápio é composto basicamente por pizzas e pastéis integrais; hambúrgueres; molhos especiais e o lanche da semana – feito sempre com os ingredientes frescos disponíveis. Para esse post, pedi um combo com um pouquinho de cada coisa. Um aspecto importante da Flower Power é o tempero usado nos preparos. A comida vegana deve ser o mais natural possível e não pode estar carregada de sal. Por isso, às vezes o resultado acaba sendo insosso e sem graça. Mas na Flower Power, não! Um dos sócios é colombiano e trouxe pras receitas o toque especial dos sabores sul-americanos, como o chimichurri, que tempera muitas das comidinhas.

DSC_2662

O lanche da semana varia de R$ 3,00 a R$ 6,00. Esse da foto é um pastel assado de legumes com massa integral – custou R$ 3,50. É o preço de um salgado de padaria, com uma diferença gritante de sabor e o principal: é um presente pro seu corpo.

CSC_2682

Os hambúrgueres da Flower Power são uma opção prática e de baixo valor calórico. Uma caixa com quatro unidades custa R$ 10,00 e eles vêm congelados pra você preparar rapidinho a qualquer momento (mas não vale fritar no óleo, né). Todas as opções são livres de glúten. Esse da foto acima é o de lentilha, com uma massa consistente e mais pesada.

DSC_2667

O de grão de bico é superleve fica perfeito com um toque de chimichurri, que a Flower Power também faz e vende em vidrinhos de 200 ml. A casa também vende pesto de manjericão e maionese vegana com salsinha (que estou curiosa pra provar).

CSC_2681

Se você já comprou hambúrguer de soja industrializado, esqueça aquela aparência e sabor estranhos. Esse foi o meu preferido da Flower Power. Bem temperado, tem um fundinho de pimentão e você nem pensa que está comendo soja.

DSC_2680

Para mim, a prata da casa são as pizzas integrais – que também podem ser feitas com massa sem glúten se o cliente preferir. É uma pizza grande, do tamanho de uma forma média retangular e custa R$ 20,00. Essa que provei era meia napolitana meia fugazza (cebolas salteadas). O queijo leve que vai por cima é feito na propriedade e obviamente é vegano. Além desses que comi, também há outros sabores: Crioula (pimentões, cebola e pimenta vermelha); Legumes da estação; Champignon ao alho e óleo; e Proteína de soja com cenoura, pimentão e azeitona.

A Flower Power não tem local físico. A ideia é exatamente entregar os produtos na casa das pessoas, mas também existem alguns parceiros – como a Tabacaria Benvenutto, de Garibaldi – que vende os pastéis de forno integrais. As entregas são feitas apenas uma vez por semana: nas quintas à tarde em Garibaldi e Carlos Barbosa e nas sextas à tarde, em Bento. Pra encomendar, a maneira mais fácil é via Facebook mesmo.

Flower Power

Encomendas pelo telefone  (54) 9138 2684 ou pelo Facebook – clique aqui.

Um combo americano direto dos anos 50!

Pra chegar a esse post, invadi o paraíso dos adolescentes em Gramado: Holiday Milkshakers. Se não estivesse acompanhada por uma criança de três anos e uma adolescente de 13, certamente ia parecer um alienígena em terras distantes. É fácil entender a fórmula de sucesso que atrai tanta galera pra esse lugar. Junte o melhor milk-shake da galáxia a um hambúrguer estilo americano servido com fritas rústicas. Adicione pitadas do metabolismo juvenil e você deduzirá por que esse lugar está sempre lotado de pais e filhos e turminhas gastando a mesada. Na deliciosa temakeria que fica bem ao lado, a idade média do público deve ser o dobro!

Atraída pelo aroma inconfundível de batata frita, nesse fim de semana troquei o lanchinho japonês pela oferta ao lado, bem mais pecaminosa. Não nego a culpa e já prometi a mim mesma que a aba “fast food” desse site ficará um longo tempo sem atualizações. Meu corpo já sente os efeitos de tantos excessos. Beirando os 30, já não posso me dar ao luxo de engordar 1 quilo por mês. Perdê-los depois tende a exigir bem mais sacrifício do que antigamente. De qualquer forma, uma escapadinha dessas vale a pena de vez em quando. Além do mais, não apenas o Holiday, mas muitos restaurantes e lanchonetes já oferecem alternativas menos calóricas e opções que contemplam os clientes com restrições alimentares. Mais adiante conto quais são.

holiday externa

holiday banquinhosEsse é o Holiday, fica numa área bem movimentada de Gramado, próximo à rótula que leva a Canela. O estilo é inconfundível. As pin ups, os banquinhos e essa mistura de verde-água com rosa chiclé levam você diretamente aos anos 50.

 

 

holiday detalhe1holiday detalhe2

Dentro do Holiday, a caracterização fica ainda mais evidente. Claro que seria melhor uma jukebox de verdade. Aliás, sou muito defensora de música ambiente em restaurantes, especialmente se ele for temático. É um pouco estranho, para mim, desfrutar de um hambúrguer com milk-shake sem um rockabilly ao fundo. Ademais, uma boa dose de Elvis e Johnny Cash faria bem a essa nova geração.

holiday milkshake

O cardápio do Holiday é basicamente composto por milk-shakes e hambúrgueres. Sobre eles, o que posso dizer sem sombra de dúvida é: esqueça aquelas bebidas insossas servidas nas lojas do palhaço e do rei. Isso é milk-shake de verdade, com sabor, textura e um canudo da largura de um marca-texto. São mais de 90 sabores e algumas opções interessantes, como milk-shakes alcoólicos (para maiores de 18, óbvio), sabores 0% lactose e sabores diet. O preço varia de R$ 7,00 a R$ 13,00 nos sabores tradicionais, dependendo do tamanho (300, 500 ou 700 ml).

holiday burger

Os hambúrgueres são o que a casa promete: estilo americano, sabores bem definidos e uma ótima espessura de carne. Provei três sabores e todos foram aprovados…mas guardei o ouro para o final 😉

Por R$ 18,90, comi a especialidade da casa, o Holiday. Não preciso dizer que a combinação de cebola caramelada e gorgonzola sempre dá certo.

holiday crunchy burger

O Crunchy Burger me deixou com a consciência pesada: cheddar derretido, cebola e bacon crocantes, alface, tomate e maionese verde. Sem falar nas fritas rústicas que acompanham todos os hambúrgueres. Esse custou R$ 17,90. Definitivamente, não indicado para pessoas que brigam com a balança, como eu!

holiday veggie

Tudo valeu a pena, até o que eu não devia ter comido. Achei o preço muito justo também, mas o ouro do cardápio certamente é este maravilhoso hambúrguer Veggie, que pedi em homenagem a meus amigos e leitores que abdicaram de carne. Gente, sério, foi uma explosão de sabores: cogumelos Paris salteados, muçarela derretida, tomate empanado, alface americana e molho aioli. Pra ficar ainda menos pesado, é só pedir pra trocar o tomate empanado por fresco. Custou 19,90 e também veio acompanhado pelas malfadadas fritas rústicas 😉

Ah, antes que eu esqueça, o Holiday também oferece umas saladinhas e uma opção de wrap, pra quem quer dosar o milk-shake com algo menos devastador.

 

Holiday Milkshakers

Rua Reinaldo Sperb, em frente ao mercado Nacional de Gramado

Telefone: (54) 3286-6022

E-mail: contato@chocolateplanalto.com.br

Facebook: clique aqui

La Cosina, almoço da mamãe entregue em casa

Na gastronomia, notícias boas se espalham tão rápido quanto as ruins…e essa boa nova foi soprada no meu ouvido por uma amiga querida que sempre tem ótimas dicas pro blog. Há tempos vinha procurando uma opção de comida boa e barata pra provar esta minha tese, mas sempre acabava postergando porque a linha editorial que eu defini pro blog traz dois princípios básicos: a novidade e o inusitado. De fato, tem muita coisa boa no mercado, mas alguns já são se conhecimento público e outros têm uma proposta comum.

Faltava, portanto, encontrar algo tão bacana quanto uma marmita executiva com gosto de comida caseira, que não pingasse gordura e que tivesse um preço realmente muito atrativo. O La Cosina, de Bento Gonçalves, te entrega em casa um almoço completo por R$ 10,00 sem custo de tele-entrega. Duvidou? Mas é isso mesmo…e pra comprovar se o sabor é tão bacana quanto a proposta, fiz um test drive durante cinco dias.

Na segunda, comi arroz à jardineira com frango grelhado, abóbora caramelada e saladinha.

Na terça, adorei o basicão de arroz, feijão, couve refogada e molho de carne.

Quarta-feira, fui agraciada com um bifinho a parmegiana, salada e arroz. Delícia!!!

Na quinta-feira, um purezinho de batata, tirinhas de carne aceboladas e salada.

Fechando a semana, massa ao molho sugo, frango a milanesa com abacaxi e salada.

O tempero de tudo é bem caseiro, a comida tem pouco sal e nada daquele gostinho de caldo de galinha. Toda essa semana de almoço custou um total de R$ 50,00 sendo entregue em casa pontualmente no horário combinado. O La Cosina começou há um mês em Bento Gonçalves. É um negócio superfamiliar e com capacidade limitada de produção – 25 marmitas executivas por dia. É uma solução e tanto pra quem não tem tempo de cozinhar e não quer comer fora ou precisa almoçar no trabalho. Além de o preço ser incrível, aprovei a quantidade de comida que vem na marmita, na medida exata – nem demais, nem de menos. As marmitas todas eu lavei e deixei guardadas. Elas são ótimas pra congelar comida ou guardar aquela sobrinha do jantar.

La Cosina Tele-entrega de marmita executiva Telefone: (54) 3701-3979 ou 9249-6868 www.facebook.com/lacosina.bento