Arquivo da categoria: Massas

La Cantinella: tem de tudo a toda hora

Postos de conveniência são a Meca dos viajantes, mas tem muita gente da Serra Gaúcha mesmo pegando 470 pra descobrir o que tem de tão bom no La Cantinella, que não se pode resumir como restaurante, lancheria, confeitaria ou empório.

IMG_3233

Já parei na passagem pra levar um pedaço de queijo e uma baguete

IMG_4581

Já saí de casa só pra tomar um gelato: R$ 7,00 a bola

IMG_3244

Já provei da enorme e magnânima pizza caseira que, na verdade, é feita com pão colonial.

IMG_3224

IMG_3251 Tem uma infinidade de coisas pra comprar também: de vinhos a geleias, passando por molhos, massas importadas e caseiras, temperos, especiarias e até panelas.

Faltava almoçar no restaurante de Comida Afetiva do La Cantinella, o que se pode fazer a qualquer dia da semana porque o bom de postos de conveniência é que o atendimento é de domingo a domingo. Buffet livre no almoço com faixa de preço de acordo com o dia da semana: R$ 29,90 de segunda a sexta; R$ 34,90 aos sábados; R$ 39,90 aos domingos.

IMG_4572

Qual não foi a minha surpresa ao chegar no segundo andar, onde funciona o restaurante, e bater o olho no carrinho de preparar massa na hora! Você escolhe o tipo de massa, o molho, complementos e temperos: tudo incluso no buffet livre. É muito útil porque resolve o problema dos restaurantes de buffet daquele macarrão sempre passado do ponto no réchaud.

IMG_4574

IMG_4576A grande mesa de saladas frescas é bem convidativa também e, no buffet quente, panelas de ferro garantem sabor à polenta mole, carne de panela, o feijão bem temperado e outras receitas dignas da casa da nossa vó. Sobremesa havia, mas troquei por mais um gelato. Deixei o limoncello para a próxima também!

La Cantinella Cozinha Afetiva

Nota no Google: 4,5 de 5,0

Nota no Foursquare: 8,1 de 10 (a nota se refere aos lanches e armazém. Não há notas suficientes para pontuar o La Cantinella Cozinha Afetiva)

Nota no Trip Advisor: 3,5 de 5

BR 470 Km 225, Garibaldi

(54) 3461-7474

Aberto todos os dias. Para o almoço, de segunda a sexta, das 11:30 às 14:30; sábados e domingos, das 11:30 às 15:00

Facebook: clique aqui!

O que o Culinarismo provou de melhor nesse semestre

Um suspiro e passou metade do ano. Já deu uma olhada nas suas metas pra 2017? Alguma promessa saiu do papel? Para o Culinarismo, foram dias de muitas descobertas gastronômicas. Listei meus cinco lugares preferidos do semestre – não é um ranking….estão por ordem alfabética e todos os cinco merecem a visita!

 

Bar Secreto Wine&Beer

Caxias do Sul

Bom para beber com qualidade

DSC_3325Prateleiras forradas de vinhos pra todos os bolsos, uma carta de cervejas escolhidas a dedo pelos proprietários e torneiras geladas de chopp. Não importa a escolha, o lugar é perfeito pra espairecer. No menu, carnes, legumes e hambúrgueres: tudo tendo a grelha como base de preparo.

 

Osteria Del Valle

Vale dos Vinhedos

Bom para almoçar

  DSC_3281

Entre tantas opções de restaurante estilo “sequência italiana”, o novo Osteria Del Valle realmente se diferencia. Dá pra perceber a assinatura do chef Álvaro da Silva no menu, que vai de foccacias de fermentação natural a capeletti de pato, passando pelo simplesmente inesquecível risoto de cordeiro. Prove esse e peça mais!

 

Ovelha Café

Bento Gonçalves

Bom para bater um papo

IMG_8351

Quatro variedades de grãos, cinco métodos de filtragem e infinitas razões pra conhecer. As tortas são feitas com carinho e ingredientes caseiros, como o doce de leite de produção própria. Sanduíches delícia pra acompanhar o bate papo no meio dos livros completam a cena. Beba água no filtro de barro – é de graça! <3

 

Sapore&Piacere

Bento Gonçalves

Bom para almoçar

DSC_3142

Revisitei o elogiado bistrô da chef Márcia Dalla Chiesa pra falar das comemorações de seus 10 anos, que serão em breve. Não há dúvidas de que é o melhor almoço trivial de Bento Gonçalves, com toda aquela mesa de antepastos que já valem por uma refeição.

 

Wine Up Miolo

Vale dos Vinhedos

Bom para uma tarde de sol

IMG_4028

O espaço novo do Wine Garden Miolo segue a mesma proposta de wine bar ao ar livre, mas, em vez de tapetes ao gramado, aqui teremos refeições mais elaboradas. Ainda em sistema de soft open, o espaço terá uma parilla e um forno de barro para o menu que vai valorizar a comida de fogo. O cenário é estonteante. Pode confiar!

A viagem gastronômica do My Way agora também no almoço

Quando um chef de cozinha te convida a sentar no porão da casa dele, conhecer suas coleções de cardápios do mundo, bibelôs e cédulas antigas, esse só pode ser um momento especial. O My Way do chef Maurício Crippa deixa as pessoas à vontade, como estando na casa de um amigo. Logo na entrada, um aparador com fotos da família é que dá as boas vindas. Sentiu o nível de intimidade que você terá com o anfitrião?

DSC_3684

Pois chegue de peito aberto e embarque na viagem que o chef oferece pelas principais cozinhas do mundo.

DSC_3683

O cardápio é itinerante e já postei aqui um jantar indiano que provei e aprovei mesmo sem saber das andanças do Maurício pela Índia. Pois, agora, o My Way, amplia sua programação de jantares étnicos nas sextas e sábados, oferecendo almoço a La carte aos sábados e domingos. O menu é completo: couvert, entrada, prato principal e sobremesa. O cliente escolhe a massa e a carne de preferência; o resto é surpresa.

DSC_3682

Preciso revelar aqui que sou apaixonada pela caponata do chef Maurício e, sempre que tenho em casa, sucumbo aos alertas do chef de comer só um pouquinho por vez. Como couvert no almoço, ele serve justamente a caponata da casa com pão de fermentação natural.

DSC_3687

Nesse dia em que revisitei o My Way, a chuva não dava trégua, então a entrada de minestrone caiu como uma luva pra confortar.

DSC_3692

A massa e a carne do prato principal são à escolha do cliente. Pra mim, naquele dia, pareceram apropriadas as mezzelunes trentinas (massa recheada com escarolas e bacon, molho de natas) e filé Cordon Bleau (recheado com copa e queijo, molho espanhol).

Esqueci de fotografar a sobremesa, que era um creme de laranjas do quintal com calda de merlot. A experiência toda (exceto bebida) por 60 pilas!

Essa vida culinarística nem sempre me permite repetir os restaurantes tanto quanto eu gostaria. Mas em defesa do My Way, eu digo e repito que é um dos lugares onde mais me sinto à vontade. Onde eu poderia tranquilamente ir de pantufas e tomar um vinho sossegada. Só não o faço em respeito ao chef (risos)!

 

My Way Cozinha Universal

Rua Francisco Ferrari, 656, Barracão, Bento Gonçalves

Reservas: (54) 98118-3398

Facebook: clique aqui!

Lembranças de uma Dolce Italia na Escola de Gastronomia da UCS

Não faz muito, abriu ao público o restaurante da Escola de Gastronomia da UCS, em Flores da Cunha.

DSC_3511

Com toda a influência da gastronomia italiana característica da região e sob comando do chef italiano Mauro Cingolani, a casa batizada de “Dolce Italia Ristorante Scuola” serve menu semanal de entrada+prato principal + sobremesa,  além de um cardápio permanente de grelhados. O lugar é uma graça e o atendimento, impecável como há muito eu não via.

DSC_3499

O mâitre, a gerente e os garçons flutuam pelo salão, falando entre si em tom inaudível para os clientes, mostrando-se disponíveis, mas sem perturbar excessivamente. Uma verdadeira escola de atendimento, registre-se. Envidraçado, o salão tem vista aberta para a sala de degustação onde se ministra o curso de sommelier internacional e outros.

A carta de vinhos é cuidadosamente selecionada, colocando a olhos vistos, na verdade, a reputação de todos os cursos oferecidos na escola. Era um sábado ameno quando estive no Dolce Italia para o almoço. Visitei a cozinha, apresentaram-me ao chef do dia e conheci toda a escola. Um roteiro pelas salas, cozinhas e auditórios é bem-vindo.

DSC_3513

Naquela semana, o menu corrente começou com uma sopa de queijo fontina com legumes.

DSC_3517

Uma lasanha desconstruída de ragu branco, espinafre e patê de azeitonas veio acompanhando a tilápia à moda mediterrânea. (ainda fiquei com saudade da sopa)

DSC_3520

E a sobremesa, um pudim de leite de coco com geleia de laranja. (Nada apaga a lembrança daquela sopa). Menu completo por R$ 49,90 (bebidas não inclusas).

Dolce Italia Ristorante Scuola

Aberto diariamente para o almoço

Avenida vindima, 1000, Parque de Eventos Eloy Kunz

Flores da Cunha

Reservas e informações: aqui!

Casa Valduga e uma releitura gastronômica do Cammino di Caravaggio

Se vivemos tempos de transição de valores, comportamentos e consumo, a gastronomia passa pelo mesmo embate. Tudo o que era glamoroso, caro e inacessível aos poucos dá espaço para a cultura, o genuíno e a exaltação do comum. Estamos trilhando um presente já não esnoba o passado e eu, particularmente, fico encantada com as habilidades de um cozinheiro em criar o inusitado a partir de insumos ordinários. Reproduzir ou adaptar a gastronomia clássica se faz com talento de execução, mas trazer à mesa um prato único com o que quer que a estação e o mercado local ofereça é o que diferencia a qualidade da excelência.

IMG_3543

Pois, a convite da Casa Valduga, o Culinarismo participou de um jantar experiência assinado pelo chef Fabrício Darós, que delicadamente homenageou o Cammino di Caravaggio com elementos conhecidos de todos nós, mas uma entrega digna da alta gastronomia.

O conteúdo e a experiência inspiradora foram organizados pela Focus Excelência. Olha só a primazia desses pratos:

IMG_3545

O antipasto “Santa Maria della Fonte”, para mim, o melhor capítulo do jantar: cesta de parmesão, polenta de milho branco com creme de mascarpone, alho assado, presunto cru. Aqui, a polenta foi servida levemente doce, contrapondo a presença forte do queijo e do preciutto. De fato, um primor.

IMG_3558

Como primo piatto, batizado “Da Bergamo fino alla Colonia Sertorina”, uma massa recheada com porco e ervas aromáticas ao molho de manteiga, guanciale, sálvia e grana padano.

IMG_3570

O secondo piatto, que leva o nome do próprio jantar – “Cammino di Caravaggio”, era um marcante pato braseado no vinho branco, alho e o primo do alecrim rosmarino, servido com berinjelas assadas.

IMG_3572

Giardino della Madonna foi o dolce que fechou a experiência: base de torta delle rose (algo como um brioche) servida com creme de laranja e moscatel, uma pitada de cacau e flores comestíveis.

O jantar Cammino di Caravaggio incluiu a programação da Casa Valduga para o Dia do Vinho 2017, que segue até o dia 04 de junho, com programação em todas as regiões brasileiras produtoras de vinho. Confira aqui!

A programação normal do restaurante Maria Valduga também é excelente. Foi, inclusive, o primeiro post desse blog, em 2013. Relembre aqui!

DiPaolo em pequenas porções  

 

Mais oportunidades de aproveitar o DiPaolo de um jeito econômico e sem pesar na dieta.

DSC_3437

A Casa DiPaolo Bento, aquela da Pipa Pórtico, espera aumentar em 20% seu movimento com uma novidade lançada ontem: porções rápidas e econômicas. Então, além do consagrado rodízio, a partir de maio você pode desfrutar do DiPaolo montando seu próprio cardápio.

DSC_3451

Podem ser entradas, saladas, carnes, massas e acompanhamentos com preço individual, de R$ 10 a R$ 80. Você escolhe o que quer e cria um almoço ou jantar ideal pro tamanho da fome. Eu, no lançamento, provei basicamente todos os itens do cardápio pra atestar mesmo a qualidade (risos).

DSC_3446

DSC_3443

Entrada (tábua de frios, gran formaggio e sopa de capeletti); Saladas (siciliana, radicci com bacon e salada de batata com maionese);

DSC_3455

DSC_3456

Carnes (galeto ao primo canto, filé mignon, entrecot, picanha, cordeiro e peixe congro);

DSC_3457

Massas (spaghetti, tagliarini, tortéi e nhoque – acompanhados dos molhos tradicional, tomate seco, funghi, nocciole, quatro queijos, alho e óleo, bolognese e pesto);

Acompanhamentos (arroz branco, batata frita, polenta frita ou brustolada e queijo à dorê).

 

Casa DiPaolo Bento

BR-470 / Km 217 (ao lado da Pipa Pórtico) – Bento Gonçalves (RS)

Aberto diariamente das 11h30min às 15h30min e de segunda a sábado, das 19h às 23h

 

Facebook: @casadipaolobento

Instagram: @casa.dipaolo

Sabor da família Tomasi no Addolorata Culinária Italiana

Addolorata foi o primeiro nome da comunidade do interior de Bento Gonçalves hoje chamada Tuiuty, onde está o roteiro turístico Vale do Rio das Antas, que tem como atração principal a imponente estrutura da Vinícola Salton.

DSC_3247

Addolorata é, também, o novo empreendimento gastronômico do distrito onde você poderá encontrar a figura lendária do agricultor Nei Tomasi, uma figura que representa como ninguém o imaginário coletivo do colono da Serra Gaúcha – com seu chapéu de palha, a camisa xadrez e seu tuc tuc que já levou milhares de turistas por passeios entre os parreirais.

DSC_3222

O restaurante, recém-aberto ao público, traz a legítima sequência gastronômica da Serra Gaúcha com o diferencial da simpatia com que a família Tomasi envolve o visitante. As filhas tocam o negócio com ajuda da mãe, enquanto Nei Tomasi cumpre seu papel de anfitrião no salão.

DSC_3217

DSC_3216

A fartura começa logo na chegada, com a mesa de queijo, salame e um torresmo fresquinho produzido na vizinhança.

DSC_3230

A decoração é uma graça, com crochês em diferentes técnicas feitos pela matriarca Tomasi e enquadrados com carinho como homenagem à nona. Quando a sequência de pratos começa, é aquela festa…

DSC_3233

A sopa, o pão e o pien, especialmente encorajadores nesses primeiros dias de frio na Serra Gaúcha.

DSC_3240

A salada que a gente come só porque radicci com bacon lembra a casa da vó (risos)

DSC_3244

E aquela sucessão de massa à carbonara, carne de panela, costelinha de porco, tortéi, fortaia.

DSC_3246

Aí está o melhor entre os melhores da casa: polenta mole recheada com salame e queijo ao molho de carne. Ocasionalmente, aqueles que ainda aguentarem podem desfrutar da sobremesa.

É tudo feito com carinho e a gente sente a alegria dos anfitriões em receber. A polenta, o tortéi, as massas e vinhos são uma produção da agroindústria familiar, o que dá ainda mais significância à refeição. Tudo acontece na propriedade da família, que recebe os visitantes para almoço e jantar sob reserva.

 

Addolorata Culinária Italiana

Aberto para almoço e jantar, sob reserva. Casais ou famílias pequenas podem ser encaixados em grupos maiores

Reservas: (54) 99925-5137

Facebook: clique aqui!

Osteria Del Valle: assemblage de influências, cardápio cativante

Será mesmo que nada pode me surpreender em se tratando de gastronomia na Serra Gáucha? Talvez, de fato, haja muitos e muitos restaurantes da famosa “sequência tipicamente italiana”, mas esse que tem o toque e a assinatura do chef Álvaro da Silva é como uma nova história pra contar.

DSC_3293

A Osteria Del Valle surgiu para dar uma chacoalhada no lado B do Valle dos Vinhedos, o acesso pelo bairro Glória que não é o mais badalado, mas dispõe das mesmas belíssimas paisagens, vinícolas e outros pequenos estabelecimentos. É anexo à vinícola boutique Peculiare e tem uma excelente sequência marcada pela mistura de influências, como o próprio nome entrega: Cucina de Fusione. É uma espécie se assemblage entre elementos italianos, contemporâneos, campeiros e até franceses.

DSC_3256

De cara, preciso fazer menção ao atendimento, desde a recepção até a impecável destreza do maitre e sua carta de vinhos, que privilegia a produção da vinícola Peculiare.

DSC_3261

Você sente o prenúncio de um menu memorável quando o pãozinho da entrada é de fermentação natural: fresco, macio, aromático. É apenas o começo da sequência que vou resumir aqui com as fotos dos meus pratos preferidos.

DSC_3264

Você acha que capeletti é tudo igual? Pois aqui ele é delicadamente recheado com pato.

DSC_3268

 

Esse é o risoto de cordeiro, que precisei repetir ao final (inacreditável eu ter conseguido o feito) tamanho sabor.

DSC_3273

O tortéi também não é um tortéi qualquer, porque seu recheio mistura charque à moranga, sendo servido apenas com manteiga clarificada.

DSC_3282

Para o sorrentino de rabada, um delicioso molho de vinho tinto. Cabe mencionar que as massas são feitas na casa.

DSC_3279

Mais um risoto, dessa vez de amêndoas e pecorino…

DSC_3278

…e o tortellini de mozarella de búfala ao molho caprese.

DSC_3291

Para sobremesa, fuja do tradicional sagu com creme provando o creme bruleé maçaricado na frente do cliente. <3

 

Osteria Del Valle

Via Trento, 1438-1610, Bento Gonçalves

Aberto de quinta a domingo, das 11h às 16h

Facebook: acesse aqui!

 

Dez grandes cozinhas no Panela no Pátio, em Caxias

O forte temporal tirou do pátio o Panela no Pátio, mas isso não apagou o estilo do evento, que reúne um elenco de dez grandes chefs de Caxias do Sul, cada um com sua especialidade e a preços megaconvidativos: até R$ 25,00.

Essa foi a segunda edição do evento supercharmoso, cheio de gente bacana e com todo o charme do Quinta Estação. Uma terceira edição já está prometida para esse ano ainda. Com muito esforço, consegui dar uma bicadinha em todas as cozinhas. Algumas coisas foram memoráveis.

DSC_3010

A Escola de Gastronomia da UCS, com a assinatura do memorável chef italiano Mauro Cingolani, trouxe um rosbife com bacon no pão ciabata. Com vários molhos à escolha, coloquei uma grande dose de mostarda com mel e ficou bem delicioso. Custou R$ 20,00.

DSC_3074

Na cozinha do chef Henrique Neves, que se prepara para abrir um bistrot de vinhos em Caxias agora em abril, o ravióli de alcachofra ganhou ares de Master Chef com a espuminha de parmesão colocado com o sifão. Coisa chique, sô, por R$ 20,00.

DSC_3071

Da cozinha do Quinta Estação dividindo seu salão com o time no Panela no Pátio, o chef Vicente Perini apostou no confort food com uma generosa porção de risoto de bacalhau servido com uma deliciosa batatinha com ervas. Capricho na entrega e delicadeza de sabores por R$ 20,00.

DSC_3048

Pelos mesmos R$ 20,00, a Escola de Gastronomia Sal a Gosto trouxe um substancioso e suculento pullet pork ao barbecue servido no pãozinho com fatias de provolone. A cereja do bolo foi a mostarda reduzida com Jack Daniels. Grande receita!

DSC_3023

A cozinha étnica foi delicadamente bem representada pela chef Daniela Chedid, com uma variedade de receitas libanesas. Tinha kibe, Beirute e a tradicional doceria libanesa com uma cheirosa baclawa, mas acabei provando a Mjadra no Pote, que é uma mistura de arroz e lentilhas com um toque de cebolas caramelizadas por cima. Uma comida muito amorosa, remeteu à família – talvez pelas minhas raízes libanesas <3

DSC_3047

Os queridos da Nella Pietra Pizzaria arrasaram com a pizza expressa do chef Fábio Centenaro. Eu bem sei que pizza boa não precisa de uma infinidade de recheios. Uma marguerita bem feita é o que basta! R$ 20,00.

DSC_3033

Já difícil manter o ritmo, mas dei uma passada rápida no Mercado do Sanduíche pra rememorar grandes dias no Mercado Público de São Paulo, onde o sanduba de mortadela é um clássico. Aqui a mortadela Ceratti foi a estrela do dia – e não precisa mais nada além de um pãozinho d’água e umas fatias de queijo pra criar uma tentação irresistível por R$ 15,00.

DSC_3044

Chega de comer? Não, só uma pausa pra sobremesa. Joana, minha pequena ajudante de Culinarismo, ficou toda fã dos brownies da Doce Forma e levou um saquinho deles pra casa. Agora temos lá um estoquinho de brownies de MM’s, Stikadinho, chocolate ao leite e limão siciliano, que achei divino. Coisa mais afetiva com o atendimento querido da Simone Vanin por R$ 5,00 o pedaço.

DSC_3061

Brigadeiro é a especialidade da Márcia Callai, da Original Brigaderia. Uma infinidade de sabores e coloridos por R$ 5,00 a unidade, mas o que me cativou mesmo foi o inusitado docinho de grana padano, com seu toque salgadinho. É doido, mas é ótimo.

DSC_3080

Antes de me render à culpa, ainda passei pela banca do chef Alexandre Reolon, do Yoo Boutique, que estava flambando na hora o seu spaguetti all mare, com ostras e tudo mais. Uma generosa refeição por R$ 25,00.

DSC_3066

Entre uma prova e outra, tinha DJ, drinks e beers que adorei provar. Um conselho: não tente repetir esse exagero! Haha. Na próxima edição do Panela no Pátio, vou levar alguns ajudantes de degustação. Haha.

DSC_3016

Panela no Pátio

Para mais informações, clique aqui!

Descobrindo um Canta Maria diferente em Bento Gonçalves

No meio do corredor gastronômico de Bento Gonçalves, o Canta Maria abriu sua nova unidade cheia de novidades que prometem apaixonar turistas e locais.

16990664_10206661993388684_895812198_o 17015243_10206661992428660_1675846633_o

A começar pela casa incrível em que está instalado, um imóvel enorme no bairro Planalto, com três andares de salões e uma incrível adega vertical com mais rótulos nacionais, importados e o vinho próprio da casa. A ideia é dar um toque contemporâneo à gastronomia cultural que é já consagrada há mais de 15 anos.

IMG_1783

A adega vertical climatizada é a melhor das atrações. Você pode desfrutar calmamente da escada em espiral e os grandes rótulos que ao seu redor se acomodam.

DSC_2814

No subsolo, um bar aberto todos os dias a partir das 16h para aquele happy hour com a polenta do Canta Maria, que é, definitivamente, a melhor.

DSC_2818

O Canta Maria da Planalto vai abrir de terça a domingo, no almoço, das 11:30 às 15:00, e jantar das 19:00 às 23:00. Contará ainda com um Open Bar a partir das 16:00, com vinhos, espumantes, drinks e cervejas artesanais.

 

Canta Maria Gastronomia

Rua Parnaíba, Nº 777, bairro São Bento

Facebook: acesse aqui!