Arquivo da categoria: Vinhos

Vindima 2015 (Parte 2 de 3): Mamma Gema, que fartura!

DSC_4089

O Mamma Gema é um restaurante tão clássico no Vale dos Vinhedos que fiquei surpresa ao descobrir, numa pesquisa rápida, que a trattoria ainda nem completou cinco anos. No inverno e no verão, a casa está sempre bem frequentada por sua localização estratégica no coração da maior região produtora de vinhos do país e, naturalmente, porque se trata de um legítimo representante da exuberância gastronomia da Serra Gaúcha. O banquete é para fortes!

DSC_4087Restaurantes típicos, a região tem vários, mas poucos alcançam a excelência do serviço e da entrega que o Mamma Gema tem. É que a comida, quando em farta quantidade, precisa ter alma. O que ocorre muito nesse sistema de rodízio “sem fim” é que a massa acaba sendo insossa, a carne passa do ponto e a gente passa dos limites sem saborear nada realmente autêntico. É por isso que eu recomendo o Mamma Gema sem pestanejar.

pizza vinhosAlém de um espirituoso proprietário que é ex-zagueiro profissional e está sempre por perto para receber o público, o lugar se diferencia também por uma grandiosa adega aberta ao público, onde o cliente pode se divertir escolhendo seu vinho em meio ao armazém de produtos coloniais. Nesse andar térreo do casarão, também funciona à noite o “Pizza entre Vinhos”, outra delícia que o só o Vale dos Vinhedos oferece. Leia mais aqui!

DSC_4057O “serviço completo” do Mamma Gema inclui muita, muitíssima comida. A saladinha em questão, embora deliciosa e tipicamente ornamentada com uvas, é só uma pegadinha perto da extravagância que se apresenta a seguir.

DSC_4055

Começando por um clássico, essa polentinha mole com ragu foi o prato mais marcante pra mim, de completo apelo emocional. Quem teve uma nona na infância, provavelmente vai saborear com carinho essa panelinha.

DSC_4060

 

Depois, um risoto de alcachofras bem elaborado.

 

 

DSC_4061

Uma tradicional massa carbonara.

DSC_4064

Um frango ao molho de ervas finas delicioso, que foge totalmente ao tradicional galeto servido em outros restaurantes.

DSC_4068O melhor da casa: tortelloni à bolonhesa, com pasta de salame e iscas de filé. Esse prato eu precisei repetir e ainda teria pedido pra levar uma quentinha, se cara de pau fosse o meu forte.

DSC_4072

Um filé básico e uma massa ao pesto, porque os rodízios italianos da Serra gaúcha nuuuuunca terminam.

 

DSC_4075E como realmente não terminam, ainda veio um ravióli maravilhoso com molho de gorgonzola e nozes…

DSC_4078…e um tradicional tortéi à moda da casa, com molho de tomate seco e castanhas torradas.

Esse banquete é para fortes, como eu disse antes, mas acho que todo mundo merece seus dias de insanidade gastronômica. Me perdoem os nutricionistas, mas prefiro pensar que um excesso de vez em quando faz parte do que eles chamam de “dieta balanceada”. 😉

DSC_4082

Ah, claro, um bom restaurante italiano tem vinho até na sobremesa. O Mamma Gema acertadamente escapa do tradicional sagu com creme pra servir essa releitura do clássico: um sorvete artesanal de creme com calda de vinho. Tudo isso que foi apresentado custa em torno de R$ 60,00 sem bebida.

Mamma Gema Trattoria

Estrada RS 444, Km 18,9, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves (RS)

Reservas: (54) 3459-1392

Site: clique aqui!

Vindima 2015 (parte 1 de 3): passeio inebriante no Parque Dal Pizzol

Os encantos da Vindima estão por toda a parte. A história, os aromas, os cachos verdes, rosas e violáceos pendendo nos vinhedos e as taças cheias tilintando em um brinde pela fartura. É um tremendo desperdício que tantos turistas venham a Bento Gonçalves especialmente para contemplar esse espetáculo do homem e da natureza, enquanto muitos que vivem aqui jamais tenham experimentado pisar a uva e estender uma toalha à sombra dos parreirais, perdendo um mundo de sensações que se apresenta ao nosso redor.

DSC_4136

Bento Gonçalves tem cinco roteiros turísticos que se pode percorrer praticamente de graça. A saber, nem só do Vale dos Vinhedos vive o turismo local: temos os Caminhos de Pedra, o Vale do Rio das Antas, A Rota das Cantinas Históricas e os Encantos da Eulália. Na última semana, tive o prazer de integrar um grupo de 17 jornalistas de todo o país convidado a conhecer esses destinos do nosso interior. Foram quatro dias extenuantes, mas de uma autenticidade cultural notável. Separei essa experiência em uma série de três posts e, pra começar, vos apresento aquela que considero uma das vinícolas mais receptivas de Bento Gonçalves: a Dal Pizzol.

DSC_4144

Nesse dia, a programação foi especial e intensa. Uma vez por ano, a vinícola reúne convidados para fazerem a colheita simbólica no Vinhedo do Mundo, a terceira maior coleção privada de uvas, com 390 variedades de 30 países. A mim, coube a responsabilidade de colher um cacho da variedade francesa Fer. Essas e as outras 40 variedades colhidas serão vinificadas sob o comando do enólogo Dirceu Scottá, dando origem à 5ª edição do Vinum Mundi, uma edição limitada que a vinícola não vende a preço algum, apenas presenteia algumas pessoas.

DSC_0469
Foto: Gilmar Gomes

A Dal Pizzol que conheci, na verdade, é um parque temático, pois a produção dos vinhos em si é feita em outra estrutura, logo mais adiante, ainda em Faria Lemos. Nessa área de oito hectares, aberta o ano inteiro, são oferecidos minicursos de degustação e almoços ou jantares para grupos. A degustação de que participei foi às cegas. Embora eu tenha falhado em algumas percepções (achei que o pão fosse biscoito), é sempre interessante a experiência de ver o mundo por meio dos outros sentidos. Em tempo: um casal ou turma pequena de amigos que quiser participar pode ser encaixado em algum grupo já agendado.

DSC_4175

A degustação vale a pena, sobretudo se for coroada com o almoço da Dal Pizzol. O cardápio é simples, mas imbatível, e o pacote com degustação às cegas mais refeição harmonizada sai por R$ 130,00 por pessoa.

DSC_4178

A cantina da Dal Pizzol fica às margens de um lago arborizado, por onde os patos transitam livremente. É o que eu chamaria de “a refeição ideal”: comida de raiz, paisagem inebriante e a bebida que une as pessoas.

DSC_4186

Como de costume, fotos da família ornamentam a cantina, lembrando aos visitantes que essa terra em que pisamos hoje é fruto do sonho de um imigrante.

DSC_4193

Enfim, afora todo o contexto histórico e a beleza natural do lugar, tem a parte da comida, que muito me interessa. Sente o profissionalismo dessa batata assada. Eu até já tentei isso em casa, mas jamais consegui uma casquinha tão crocante.

DSC_4202

Uma dupla de massas clássicas é servida na sequência, mas é bom não se ater muito a isso porque o absolutamente incrível vem a seguir.

DSC_4201

É o lendário xixo da Dal Pizzol. Atenção se você quiser reproduzir a receita em casa. Precisará de uma churrasqueira giratória, azeite de oliva em abundância e muita paciência, porque os espetinhos precisam ficar girando constantemente e sendo regados até ficarem perfeitamente assados e crocantes.

DSC_4205

Um filezinho ao molho de vinho encerra a sequência de salgados…

DSC_4211

…abrindo espaço para o mousse de iogurte natural na calda de vinho, que eu adorei por manter o sabor neutro do iogurte natural e harmonizar perfeitamente com o moscatel da casa. A propósito, todos os pratos foram harmonizados, o que a partir de determinado momento comprometeu minha grafia, levando a uma extrema dificuldade de compreensão dias depois, quando precisei transcrever minhas anotações 😀

DSC_4155

Toda essa experiência foi completa, deliciosa e “embebedante”, mas dá para se encantar com as nuances do parque Dal Pizzol sem gastar um tostão. A visitação é gratuita e você pode estender sua toalha e cesta de piquenique na grama, deixando as crianças (e os adultos, como na imagem) se divertirem nos brinquedos.

DSC_4156

É um gigantesco espaço pra curtir com a família, comprando um bom vinho ou espumante no varejo da vinícola. Eles servem na temperatura ideal!

Esse é um lugar que vale a pena frequentar, sempre respeitando a natureza e o esforço da família para manter o espaço aberto ao público durante todo o ano. A vida é feita de momentos como esse, de trocas e de vivências. A mim, restará a gratidão e a lembrança maravilhosa de ter deixado uma pequena contribuição ao Vinum Mundi safra 2015.

 

Dal Pizzol Adega e Parque Temático

RS 431, Km 5, Distrito de Faria Lemos

Bento Gonçalves (RS)

Contato: (54) 3449.2255

http://www.dalpizzol.com.br/